Cabec¦ºalho ciclismo

Está de volta a época desportiva no mundo do ciclismo e estão de volta os artigos sobre tal! Algumas equipas ainda estão em estágio de preparação para o começo de época, outras já estão a estagiar perto de algum local onde irão fazer uma prova brevemente, enquanto outras já se encontram mesmo em competição e prontas para terem um ano melhor ou tão bom quanto o que foi o ano passado. É o caso das equipas que estão na Austrália e que competiram no Tour Down Under, uma das primeiras provas do ano no calendário internacional e que costuma apresentar já um bom elenco de ciclistas. Em relação à prova, há que destacar, antes de mais, que a classificação geral e todas as etapas foram ganhas por um ciclista australiano; incrível o domínio “aussie” nesta prova!

A primeira etapa costuma ser “dedicada” aos sprinters e esta vez não foi exceção. Vários nomes eram apontados como possíveis candidatos a vencerem e a serem os primeiros a ficar com a camisola relativa ao líder da classificação geral. Entre esses nomes, estava o “menino-prodígio” Caleb Ewan (com apenas 21 anos). Já tinha sido referido por mim num dos meus primeiros textos para o Bola na Redever aqui – , onde dizia que “referente a jovens sensações do momento, há que ter em atenção, tal como já tenho dito a várias pessoas há uns tempos atrás, o crescimento de Caleb Ewan”.

Felizmente, até agora, estas “previsões” têm sido bem no alvo e é de se esperar que este jovem australiano, uma das maiores promessas do ciclismo mundial, continue a sua evolução como ciclista e acredito que no futuro suba mais patamares, com vitórias, por exemplo, em Grand Tours. Nesta primeira etapa, fez um grande sprint e não deu hipótese a homens como Mark Renshaw (quase 12 anos mais velho do que ele), Wouter Wippert, Giacomo Nizzolo ou Ben Swift.

O “menino-prodígio” Caleb Ewan venceu mais 2 etapas num início de ano que está a ser extraordinário para o jovem australiano  FONTE: cyclingtips.com
O “menino-prodígio” Caleb Ewan venceu mais duas etapas num início de ano que está a ser extraordinário para o jovem australiano
Fonte: cyclingtips.com

Na segunda etapa, já quase no final, houve uma queda que deixou alguns favoritos a vencer de fora da discussão desse mesmo dia e  que acabou por beneficiar um outro jovem (de 23 anos), de seu nome Jay McCarthy. Este australiano, ciclista da Tinkoff, foi um dos corredores mais surpreendentes da prova e mereceu realmente ter levado “para casa” uma vitória. Frente a nomes mais conhecidos como Diego Ulissi ou Rohan Dennis (último vencedor desta prova), não se intimidou e teve aqui a sua primeira vitória em 2016. A terceira e quarta etapas tiveram o mesmo “destino”: vitória ao sprint por parte de Simon Gerrans, que acabou mesmo por vencer este TDU 2016!

A quinta etapa poder-se-á designar como a “rainha” da prova e o verdadeiro teste às capacidades de quem estava na Austrália para vencer a classificação geral. Richie Porte, na primeira prova como corredor da BMC, conseguiu igualmente a primeira vitória pela sua nova equipa, depois de ter saído da Sky, deixando toda a concorrência para trás na última subida do dia. Uma vitória que mostrou realmente a qualidade do também australiano para terrenos mais inclinados e uma pequena demonstração do que poderá fazer no Tour, provavelmente. O colombiano Henao, da Sky, ficou em segundo lugar na etapa e o trepador da Cannondale Michael Woods ainda conseguiu o último lugar do pódio nesse dia. É de destacar que quase todos os grandes candidatos a vencer esta prova apareceram bem neste dia, ficando o top’10 da etapa com oito ciclistas que terminaram no top’10 da classificação geral final da prova.

O último dia da prova, como de costume, estava novamente reservado para os ciclistas mais rápidos, os denominados “sprinters”. Mais uma vez, demonstração de qualidade por parte do jovem Caleb Ewan (no futuro, poderemos vir a ter enormes duelos entre o australiano e o também jovem Fernando Gaviria, colombiano de 21 anos, igualmente com grande potencial e que venceu uma etapa, nesta semana, no Tour de San Luís – prova que Dayer Quintana, de 23 anos, venceu… à frente do seu irmão, que ficou em terceiro lugar, Nairo Quintana!). O experiente Renshaw, tal como no primeiro dia, voltou a não conseguir superar o bem mais novo Caleb Ewan. Brilhante início de temporada por parte do jovem australiano, que antes desta prova vinha com seis vitórias em sete dias de corrida: brilhante, sem dúvida!

Richie Porte começa bem o ano com a sua nova equipa com uma vitória em etapa neste Tour Down Under  FONTE: cyclingnews
Richie Porte começa bem o ano com a sua nova equipa com uma vitória em etapa neste Tour Down Under
Fonte: cyclingnews

Simon Gerrans (da equipa igualmente australiana Orica GreenEdge) conquistou assim a sua quarta vitória no Tour Down Under, numa prova realmente dominada pelos australianos, onde Richie Porte ficou com o segundo lugar na classificação geral final (nove segundos de diferença para o vencedor) e o colombiano Sérgio Henao não permitiu o “triplete” para os australianos, visto que conseguiu terminar nove segundos à frente do australiano Jay McCarthy. Michael Woods fecha o top’5 desta prova. De destacar neste top’10 a presença de outros dois jovens com bom potencial (ambos com 24 anos), Rúben Fernandez, da Movistar, e Patrick Bevin, da Cannondale (equipa que venceu a classificação geral por equipas).

Queria, por fim, deixar uma breve nota de rápida recuperação aos homens da Giant Alpecin, que tiveram um grave acidente devido a um carro que estava a circular na via contrária. Alguns ciclistas apenas sofreram feridas ligeiras, mas outros estão num estado pior, como, por exemplo, os bem conhecidos John Degenkolb e Warren Barguil. Isto serve de alerta também para o facto de terem de ser implementadas mais e melhores campanhas de sensibilização/educação para os condutores em relação aos ciclistas (e, nalguns casos, também de ciclistas para com os condutores). Desde já, espero que recuperem todos da melhor forma.

Foto de capa: Cyclingnews

Comentários