O Tour Down Under está a chegar e, com ele, o início de mais uma época de Ciclismo para as melhores equipas do mundo. Na Austrália, como é habitual, haverá várias oportunidades para os sprinters e alguns dos mais velozes do pelotão quererão marcar posição logo a abrir o ano.

As jornadas um (Tanunda – Tanunda), quatro (Norwood – Murray Bridge) e cinco (Glenelg – Victor Harbor) deverão ter provas puras de velocidade na reta final, enquanto a etapa dois (Woodside – Stirling) apresenta-se ligeiramente mais seletiva, permitindo talvez alguma surpresa por quem tenha maior velocidade em ligeira subida.

Com 18 vitórias de etapa conquistadas em edições anteriores da prova australiana, Andre Greipel quererá marcar da melhor maneira a estreia da Israel Start-up Nation no World Tour, mas o alemão vem de uma época desapontante… a idade começa a pesar, pelo que este será também um bom momento para compreender o impacto que esta pode vir a ter no seu regresso ao escalão mais elevado da modalidade.

Os três grandes sprinters da época passada, Caleb Ewan, Elia Viviani e Sam Bennett, também estarão na terra dos cangurus. Ewan quererá aproveitar o fator casa, mas é o que parte com menos pressão, já que será nas grandes provas que se julgará o sucesso da sua temporada. Já Viviani e Bennett, que mudaram de equipa no defeso, terão nos ombros maior pressão para apresentar desde logo resultados e justificar o investimento neles feito.

Alberto Dainese é um dos jovens a tentar mostrar-se na Austrália
Fonte: Team Sunweb

Há também um bom contingente jovem a querer mostrar-se. Jasper Philipsen teve uma boa época de estreia em 2019 e tem aqui uma boa oportunidade para cimentar uma posição entre a elite do sprint, enquanto Halvorsen tem na EF a possibilidade de um novo começo após dois anos para esquecer na Sky/INEOS. A Sunweb vem também com uma dupla promissora, o estreante Dainese e Kanter, que tenta recuperar o tempo perdido por uma época passada marcada por lesões.

Finalmente, não esquecer também nomes menos sonantes como Nizzolo ou os homens rápidos que poderão surpreender os sprinter puros ao tentarem alcançar bonificações, como o vencedor das últimas duas edições, Daryl Impey, ou o campeão do mundo Mads Pedersen.

Foto de Capa: Santos Tour Down Under

Artigo revisto por Diogo Teixeira

Comentários