cab reportagens bola na rede

NCB vence Supertaça Mário Godinho

No Pavilhão 1 do Estádio Universitário de Lisboa decorreu a Supertaça Mário Godinho, que opôs o campeão nacional de Corfebol, o Núcleo de Corfebol de Benfica (NCB), frente ao finalista vencido da Taça, Club Internacional de Foot-Ball (CIF). Mas antes de passarmos às peripécias do jogo, explicamos ao leitor o que é o corfebol, uma modalidade que tem crescido em Portugal.

O Corfebol é um desporto misto com equipas de 8 jogadores, 4 raparigas e 4 rapazes. A defesa é individual e rapazes só podem defender rapazes e raparigas só podem defender raparigas. O objectivo é introduzir a bola de cima para baixo, no cesto do adversário. A modalidade surgiu em Portugal em 1985 e a selecção tem tido boas prestações com um 3º lugar no Campeonato de Mundo de 1995 na Índia, um 3º lugar no Campeonato da Europa de 1998 em Portugal e um 4ºlugar nos Jogos Mundias de 2013 na Colômbia.

Voltando ao pavilhão, o Núcleo de Corfebol de Benfica(NCB) defrontava o Club Internacional de Foot-Ball(CIF) numa reedição da Taça de Portugal do ano passado. O NCB é uma das forças dominantes do Corfebol português, sendo o tri-campeão nacional. O CIF é uma força emergente no panorama nacional, tendo acabado o campeonato no 3ºlugar.

NCB vs CIF a disputar a Supertaça Mário Godinho
NCB vs CIF a disputar a Supertaça Mário Godinho

O jogo começou bastante disputado, de parada e resposta, sem nenhuma equipa a estar em vantagem por mais de um ponto. Só a partir dos últimos 7 minutos da primeira metade a partida começou a ficar desequilibrada. Associado a esse desequilíbrio esteve o facto de o CIF ter visto um dos seus jogadores sair lesionado. A partir desse momento, o NCB tomou conta do jogo e chegou ao intervalo a vencer por 12-6.

A segunda parte foi de controlo do jogo por parte do NCB. Os campeões nacionais iam controlando a vantagem, fazendo pontos e aproveitando os lançamentos e defesas falhadas do CIF. Só na recta final, o CIF tentou tudo para dar a volta ao resultado, mas sem efeito. No final, o NCB venceu por 24-17, num jogo onde soube aproveitar a lesão que afectou a equipa do CIF e superiorizar-se. O CIF mostrou bons argumentos para a época que ai se aproxima, tendo conseguido equilibrar o jogo a certas alturas.

NCB a celebrar a vitória
NCB a celebrar a vitória

Em declarações ao “Bola na Rede”, o treinador dos vencedores, Nuno Ferro, ficou satisfeito com a vitória, apesar do jogo típico de início de temporada. Quanto à temporada espera revalidar os títulos e conseguir um TOP 3 na Taça dos Campeões Europeus ( vai-se disputar em janeiro na Holanda). Revela ainda ao nosso site que o segredo para se manterem no topo é o profissionalismo dos jogadores, ainda amadores. Por sua vez a capitã do NCB, Joana Faria, entende que a vitória foi justa e por bons números, apesar de uma segunda parte mais fraca, quanto a objetivos estabelece os mesmos que o seu treinador.

Nos vencidos Catarina Miranda, treinadora do CIF, defende que a lesão de Raúl desconcentrou os seus jogadores, e que nunca mais conseguiram alcançar o NCB pela sua qualidade e experiência. Quanto a objetivos traça a luta pelos dois primeiros lugares do campeonato e afirma que um dia “seremos campeões”. A capitã do CIF por sua vez considera que foi um jogo interessante e que o NCB foi um justo vencedor. Acreditando ainda que a sua equipa vai conseguir ficar no TOP 3 do campeonato.

Para Mário Almeida, Presidente da Federação Portuguesa de Corfebol, foi uma final com vencedor antecipado, mas que prova que o CIF pode, nos próximos anos, começar a discutir de mais perto o primeiro lugar, uma vez que tem jogadores com um e dois anos de experiência na modalidade. Adianta ainda ao “Bola na Rede” que o jogo podia ter sido muito diferente caso o NCB tivesse tido duas ou três lesões, porque os atletas do banco são do mesmo valor que os do CIF, já que se encontram ainda em formação.

O Campeonato Nacional de Corfebol tem início marcado para o próximo dia 16 de novembro.

Reportagem de André Conde, Cátia Borrego e Rodrigo Fernandes

Comentários