No jogo inaugural de ambas as equipas nesta edição dos Campeonatos Universitários de Lisboa, foi a AEISCTE que entrou melhor. Na primeira parte, três nomes estiveram em evidência: os centrais, Bernardo e Pedro Xavier, e o trinco, Britânico. Foi sob a sua batuta que os homens de azul ditaram o ritmo de jogo dos 45 minutos iniciais. O golo do próprio Bernardo, que abriu o marcador, chegou com alguma naturalidade e fez com que chegássemos ao intervalo com uma justa vantagem de 1-0 para a AEISCTE.

Mas a Faculdade de Motricidade Humana entrou na segunda metade com ímpeto renovado. Diogo, na ala direita, era o membro mais inconformado da equipa e em duas ocasiões causou problemas ao guarda redes da AEISCTE, Bruno Gomes. Foi, porém, numa altura em que o jogo baixava de ritmo que, a cerca de 20 minutos dos 90′, foi reestabelecida a igualdade, num contra ataque rápido da formação que vestia de branco.

Sorte ou um belo pormenor?
Fonte: Inês Catarino/ADESL

A juntar a isto, a expulsão de João Miguel (que saíra do banco da AEISCTE) por acumulação de amarelos resultou nuns minutos finais nos quais a AEFMH conseguiu inverter o domínio inicial do adversário. Esta melhor fase, no entanto, não se traduziu em mais nenhum golo, e ambas as equipas saem desta estreia com um resultado e uma exibição satisfatórios, mas longe de perfeitos, de acordo com os próprios intervenientes.

Flash interview:

Anúncio Publicitário

Jogo completo:

Artigo escrito por Gonçalo Taborda

Foto de Capa: Inês Catarino/ADESL