WWE Elimination Chamber: Estrada para a WrestleMania cada vez mais definida

    modalidades cabeçalho

    A WWE saiu dos Estados Unidos este fim de semana e viajou até à Austrália para realizar o Elimination Chamber, último especial antes da WrestleMania, maior evento do ano. O cartaz tinha um certo ar de previsibilidade, com os resultados a corresponderem àquilo que se esperava, mas o evento serviria para continuar a caminhada para a WrestleMania e também celebrar algum talento australiano que a WWE tem nas suas fileiras. Agora já temos mais algumas pistas do que a WWE pretende fazer no fim de semana de 6 e 7 de abril.

    KABUKI WARRIORS ESTRAGAM REGRESSO A CASA DE HARTWELL

    No primeiro combate do evento (ainda no pre-show), as Kabuki Warriors (Asuka e Kairi Sane) tinham a missão de defender os títulos de equipas contra Candice LeRae e a australiana Indi Hartwell. No geral, a WWE acabou por fazer bem aquilo que tinha de fazer aqui, com as campeãs a manterem os títulos (não era a ocasião certa para isso e as Kabuki Warriors estão numa história maior com IYO SKY, Bayley e Dakota Kai), mas a evitarem que fosse Indi Hartwell a sofrer a derrota. Candice LeRae esteve algum tempo a sofrer os ataques das japonesas até passar o testemunho a Hartwell, que foi recebendo o apoio do seu público. No final, a esperteza de Kairi Sane acabou por valer a vitória das campeãs, com LeRae a sofrer o assentamento final.

    LYNCH REVELA UM SEGREDO MAL GUARDADO

    O evento propriamente dito começou com o combate Elimination Chamber feminino, que teve Bianca Belair, Raquel Rodriguez, Tiffany Stratton, Liv Morgan, Naomi e Becky Lynch como protagonistas, com a vencedora a lutar pelo título feminino mundial na WrestleMania. No que toca à ordem de eliminações, Naomi foi a primeira a ser enviada para fora, com um assentamento oportunista de Stratton, antes de Tiffany ser eliminada por Liv Morgan. Raquel Rodriguez caiu às mãos do KOD de Bianca Belair, antes da sequência final, que viu Morgan a eliminar Belair com um assentamento repentino, imediatamente antes de Morgan sofrer um Manhandle Slam para a vitória de Becky Lynch.

    Este era o desfecho mais lógico e foi inteligente da parte da WWE deixar Lynch começar o combate e ir até ao fim rumo à vitória, de modo a demonstrar a característica guerreira da irlandesa, que promete ter um excelente combate com Rhea Ripley na WrestleMania. De resto, há que dar um destaque a Tiffany Stratton, que foi chamada há muito pouco tempo para o SmackDown, vinda do NXT, e ambientou-se de forma muito rápida, sendo uma das estrelas deste combate (e tendo um inesperado apoio por parte dos fãs australianos, que assobiaram Liv Morgan quando esta eliminou Stratton).

    WRESTLING DE EQUIPAS NO SEU MELHOR

    De seguida, era a vez de os Judgment Day (Finn Bálor e Damian Priest) defenderem os títulos de equipas contra Tyler Bate e Pete Dunne, naquilo que foi um exemplo de excelente wrestling de equipas. No final, os campeões mantiveram os títulos graças aos recursos de Bálor, que segurou o pé do colega de equipa quando Bate e Dunne preparavam um duplo superplex, permitindo que Priest aplicasse um South of Heaven chokeslam a ambos, com Bálor a terminar o combate com o Coup de Grace. A decisão de manter os títulos nos campeões é lógica, uma vez que é expectável que estes vão trabalhar com Miz e R-Truth durante a WrestleMania (Truth não estava presente porque voou para a Áustria em vez de ir para a Austrália), mas Dunne e Bate são mais uma excelente adição a uma divisão de equipas que tem nomes bastante interessantes.

    CODY RHODES CONTRA THE ROCK?!

    De seguida, houve uma pausa nos combates para que o australiano Grayson Waller (juntamente com Austin Theory) pudesse receber Seth Rollins e Cody Rhodes no seu talk show, o Grayson Waller Effect. No final, saíram duas notícias deste segmento: Rollins está prestes a poder regressar à ação, na sequência da lesão no joelho que sofreu (no final do segmento, deu um stomp em Austin Theory), e Cody Rhodes desafiou The Rock para um combate um contra um. Rhodes vai desafiar Roman Reigns pelo título na WrestleMania, mas a possibilidade de combates de sonho que a WWE pode oferecer só nesta história é notável, com Cody vs. Roman, Cody vs. Rock e também Roman vs. Rock, com Seth Rollins a voltar a deixar claro que apoia Cody Rhodes nesta luta.

    MCINTYRE A UM PASSO DA GLÓRIA

    A seguir, tivemos o Elimination Chamber masculino. Kevin Owens, Bobby Lashley, Logan Paul, Randy Orton, Drew McIntyre e LA Knight a lutarem pela oportunidade de defrontar Seth Rollins pelo título mundial na WrestleMania. Na ordem de eliminações, Lashley foi o primeiro a ser afastado, na sequência de um Claymore Kick de Drew McIntyre quando Bobby tentava aplicar o Hurt Lock a LA Knight; McIntyre também eliminou Knight quando este foi atacado por um AJ Styles que nem estava no combate; Kevin Owens foi afastado por um RKO de Randy Orton, tal como Logan Paul, que foi completamente surpreendido pelo ataque da Víbora; por fim, Logan Paul, já depois de ser eliminado, atingiu Orton com um soco com a ajuda de uma soqueira de aço e isso permitiu a McIntyre selar a vitória.

    Explorar esta faceta oportunista de Drew McIntyre foi a melhor ideia, com o escocês a avançar agora para a WrestleMania, estando a ser atualmente uma das melhores personagens da WWE. De resto, ficou aqui aberta a porta para mais combates, entre os quais LA Knight vs. AJ Styles e Logan Paul vs. Randy Orton. Mas este momento foi de McIntyre, que merece sagrar-se campeão no mês de março.

    MOMENTO MERECIDÍSSIMO PARA RHEA RIPLEY

    Quando pensamos em talento australiano na WWE, não há nada que supere Rhea Ripley neste momento, com a ‘Mami’ num nível de popularidade tremendo, mesmo fora da Austrália. Por isso, era de esperar que o barulho no seu país fosse ainda maior e a WWE, de forma inteligente, colocou este combate contra Nia Jax (também ela com raízes australianas) como o último da noite.

    O combate seguiu o caminho que se esperava, com Nia a dominar praticamente o tempo todo, para vender a ideia de que o reinado de Ripley estaria em perigo. Isto tornou a reação da campeã ainda mais especial para os fãs, com Ripley a conseguir eventualmente a vitória com recurso a um superplex e a um Riptide e a assegurar o seu lugar na WrestleMania, onde vai defender o título contra Becky Lynch.

    - Advertisement -

    Subscreve!

    PUB

    spot_img

    Artigos Populares

    Roberto Martínez: «Hoje, foi uma vitória do grupo»

    Roberto Martínez analisou o desafio entre Portugal e a...

    Francisco Conceição: «Quis ajudar a equipa a chegar ao golo»

    Francisco Conceição analisou o desafio entre Portugal e a...

    Pepe: «Trabalhei muito para estar aqui hoje»

    Pepe analisou o desafio entre Portugal e a Chéquia,...
    Bernardo Figueiredo
    Bernardo Figueiredohttp://www.bolanarede.pt
    O Bernardo é licenciado em Comunicação Social (jornalismo) na Universidade Católica de Lisboa e está a terminar uma pós-graduação em Comunicação no Futebol Profissional, no Porto. Acompanha futebol atentamente desde 2010, Fórmula 1 desde 2018 e também gosta de seguir ténis de vez em quando. Pretende seguir jornalismo desportivo e considera o Bola na Rede um bom projeto para aliar a escrita ao acompanhamento dos desportos que mais gosta.