logo-BnR.png

ÚLTIMA HORA:

Lindvik

Lindvik voa para a eternidade | Voos de Esqui

KRAFT VOLTAVA A ACREDITAR

Com a noite a cair, sem sol e por conseguinte com o vento a ficar subitamente mais forte, quem perante este estado de coisas mantinha a liderança no fim do Dia 1 era Lindvik, totalizando 226m na segunda tentativa. Kraft recuperando do atraso inicial, registava agora 230m, ascendendo a segundo. O especialista Domen era terceiro após 222m.

De resto, os eslovenos metiam mais dois elementos nos cinco melhores, Zajc e Lanisek. Kobayashi partiria em décimo para o dia de atribuição dos metais, ao passo que Geiger fruto de 199m era 13.º. Já Tand, Eisenbichler e Stoch, seriam atletas que apenas marcariam presença, pois eram já nomes a descartar.

LINDVIK EM MODO GESTÃO

Com o vento menos intenso que na véspera, Lindvik mantinha grande superioridade face aos rivais e com um salto de 230m encaminhava o ouro cada vez mais para o seu lado. Kraft voando menos três metros, também sabia que lhe bastaria manter o nível para concretizar a subida ao pódio.

Quanto ao bronze pareciam haver três fortes candidatos: Peter Prevc que fizera na terceira aparição 237m, o mano Domen e Zajc. Lanisek mantinha ainda uma réstia de esperança. Geiger parecia recuperar ligeiramente, pois seria quinto nesta ronda. Já Kobayashi, Eisenbichler e Stoch afundavam-se irremediavelmente, ficando à margem das decisões!

A CONSAGRAÇÃO DE LINDVIK, O VOADOR

Com a derradeira ronda a não conferir grandes alterações, Lindvik conseguia o “caneco” após uns bem descontraídos 224m. Zajc venceria a corrida pela prata , enquanto Kraft seria bronze. Peter Prevc e o jovem compatriota Lanisek ficariam fora dos metais por uma nesga! Já Geiger fecharia em oitavo, Kobayashi em 13º, Eisenbichler cinco postos atrás do nipónico e cinco adiante de Stoch.

O Diogo é licenciado em Ciências da Comunicação pela Universidade Lusófona do Porto. É desde cedo que descobre a sua vocação para opinar e relatar tudo o que se relaciona com o mundo do desporto. Foram muitas horas a ouvir as emissões desportivas na rádio e serões em família a comentar os últimos acontecimentos/eventos desportivos. Sonha poder um dia realizar comentário desportivo e ser uma lufada de ar fresco no jornalismo. Proatividade, curiosidade e espírito crítico são caraterísticas que o definem pessoal e profissionalmente.

O Diogo é licenciado em Ciências da Comunicação pela Universidade Lusófona do Porto. É desde cedo que descobre a sua vocação para opinar e relatar tudo o que se relaciona com o mundo do desporto. Foram muitas horas a ouvir as emissões desportivas na rádio e serões em família a comentar os últimos acontecimentos/eventos desportivos. Sonha poder um dia realizar comentário desportivo e ser uma lufada de ar fresco no jornalismo. Proatividade, curiosidade e espírito crítico são caraterísticas que o definem pessoal e profissionalmente.

FC PORTO vs CD TONDELA