Cabeçalho modalidadesO ano passado, São Miguel e os Açores vibraram como nunca com a vitória de Ricardo Moura, no Rali dos Açores. Foi uma grande e merecida vitória, mas temos de ser sinceros, muito provavelmente este ano não voltaremos a ver o açoriano no lugar mais alto do pódio, talvez nem no pódio.

A prova que arranca esta quinta feira, mas que hoje tem uma especial espetáculo, na avenida da cidade de Ponta Delgada, tem uma lista de inscritos muito boa. Numa altura em que muitos já faziam o funeral ao Europeu de Ralis (ERC), a organização respondeu com medidas, até ver positivas, e que permitiram ter vários pilotos de qualidade à partida.

Mas vamos então à análise da prova: são 16 especiais contra o tempo que vão ditar quem vai ser o vencedor da primeira prova do ERC de 2017. Para mim, o principal candidato é Alexey Lukyanuk. O russo, o ano passado, na sua estreia, foi segundo, mostrando um ritmo impressionante para uma primeira vez na ilha. Mas nomes como Kajetanowicz, Marijan Griebel, Ralfs Sirmacis, Nikolay Gryazin e, claro, Ricardo Moura não podem ser esquecidos nesta luta. Acredito que o pódio será entre Lukyanuk, Kajetanowicz e Moura, tal como o ano passado, de resto, mas será uma grande luta, sem qualquer dúvida.

Ruben Rodrigues vai estrear o DS3 R5 Fonte: Play/AutoAçoreana Racing
Ruben Rodrigues vai estrear o DS3 R5
Fonte: Play/AutoAçoreana Racing

Fora estes pilotos, tenho muito interesse em acompanhar as provas de José Maria Lopez, que muito boas indicações tem dado no Serras de Fafe, mas que conta com um Peugeot 208 R5, que sabemos não ser nada fiável. Josh Moffett, que há dois anos mostrou um excelente ritmo no Rali dos Açores até desistir; as prestações de Ruben Rodrigues na sua estreia com o DS3 R5 e de Luís Rego Jr., agora mais adaptado ao Fiesta R5, e, claro, ver o que é que Bruno Magalhães consegue fazer depois de vários meses parado e na sua estreia com um Fábia R5.

No campeonato júnior, destinado aos R2, espero uma vitória clara de Chris Ingram, que já tem bastante experiência no Rali dos Açores – quarta participação – e que já demonstrou a sua rapidez. É pena a ausência de Diogo Gago, que vai fazer a 208 Rally Cup e não o ERC. Mas, nesta competição, sou sempre surpreendido por pilotos que desconheço e que espremem os seus R2 ao máximo, dando tanto ou mais gozo que em vários R5.

Anúncio Publicitário

Em suma, será um Rali dos Açores de alto nível, com muita qualidade na estrada. Será, sem sombra de dúvidas, uma das melhores edições, se não a melhor, do rali açoriano. Já sabes: podes acompanhar tudo no Bola na Rede.

Foto de capa: M-Sport

Artigo revisto por: Francisca Carvalho