SITE TEMPORÁRIO

20 de Janeiro, 2022

campeonato

Não estraguem o melhor campeonato dos últimos anos | Fórmula 1

O campeonato do mundo de 2021 tem tido algo que não se via há alguns anos: uma verdadeira luta pelo título entre dois pilotos de equipas diferentes. De um lado Lewis Hamilton, atual campeão do mundo pela Mercedes, do outro Max Verstappen, líder do campeonato pela Red Bull. E a diferença é de apenas oito pontos. Mas tem havido alguns episódios que nos têm impedido de desfrutar ao máximo das lutas em pista…

É de admitir que os comissários desportivos têm tido muito trabalho esta época, com Toto Wolff e Christian Horner, chefes da Mercedes e Red Bull, respetivamente, a meterem-se também ao barulho demasiadas vezes.

Começou logo no Bahrain, com aquela história da ultrapassagem de Max Verstappen feita fora de pista quando Lewis Hamilton tinha saído fora de pista para ganhar tempo várias vezes antes disso. E fomos tendo vários episódios ao longo da época, misturando aquilo que queremos ver (lutas entre carros em pista) com aquilo que dispensamos (más decisões e chefes de equipa a tentarem ganhar vantagem na secretaria).

O primeiro grande momento de tensão surgiu em Inglaterra, mais concretamente em Silverstone, quando Hamilton e Verstappen colidiram, Verstappen ficou fora da corrida, Hamilton ficou com um castigo de dez segundos, mas ainda assim recuperou para ganhar a corrida. Nessa semana, era quase proibido para os adeptos de Fórmula 1 visitar as redes sociais, para bem da sua sanidade mental, face a algumas coisas que eram lá escritas. Wolff e Horner também não ajudaram nada à festa, diga-se…

Depois veio a Bélgica. Em condições impraticáveis para correr (devido à chuva), achou-se por bem fazer duas voltas atrás do safety car e atribuir uma classificação com meios pontos baseada na qualificação do dia anterior, com uma ou outra alteração. Mais uma má decisão que deu azo a mais críticas, que nem se pode dizer que não sejam justificadas.

Seguiu-se Monza, com mais uma colisão em pista entre os candidatos ao título durante a corrida. Desta vez decidiu-se pela penalização a Verstappen, outra decisão com a qual não concordei (à semelhança da de Silverstone, achei incidente de corrida), mas decidiu penalizar-se o neerlandês com três lugares na grelha para a corrida seguinte.

O Brasil foi mesmo o fim de semana com mais casos. Foi detetada uma irregularidade na asa traseira de Hamilton durante a qualificação, após a qual Verstappen foi mexer na asa do Mercedes. As penalizações aplicadas foram as corretas, mas demorou-se uma eternidade para as decisões saírem (desqualificação de Hamilton, multa para Verstappen).

E por fim, no Catar, Verstappen foi penalizado depois de não respeitar bandeiras amarelas na qualificação (situação em que o piloto tem obviamente culpa, apesar da confusão que se gerou pelos sinais que eram mostrados na pista), mas a decisão só foi conhecida uma hora e meia antes da corrida, bem como a penalização a Valtteri Bottas.

Todos estes casos são recordados para dizer que uma luta tão acesa e tão entretida pelo título não merecia tanta inconsistência, tanta trapalhada dos comissários, tanta ‘choraminguice’ dos chefes de equipa e tanta tentativa de ganhar vantagem na secretaria.

A Red Bull chegou a ter o título na mão, Hamilton desafiou as probabilidades em São Paulo, ganhou no Catar e leva agora o ímpeto para as últimas duas provas. E para mim, isto seria suficiente. Por isso, que ganhe o melhor e que não estraguem o belo campeonato que estamos a ter dentro de pista.

Foto de Capa: Formula 1