1.

Grande Prémio de Portugal 1984 – Em 1984 o mundo era bastante diferente do atual e a Fórmula 1 não foge à regra. Em comparação com a última temporada de Fórmula 1, em 2019, as forças dominantes nessa altura eram a McLaren, a Williams, a Tyrrell, a Lotus e a Brabbham—BMW. O campeão de ’83 era Nelson Piquet.

Em 1984, a combinação Nikki Lauda, Alain Prost, com o McLaren MP4/2, equipado com um motor TAG-Porsche foi a melhor. Estiveram os dois a lutar até ao final da temporada pelo título, que culminou numa corrida épica no Estoril.

1984 marcou o regresso da Fórmula 1 a Portugal. Desde 1960 que os carros mais rápidos do planeta não corriam em território português, sendo que naquela altura se correu em Boavista e Monsanto.

Em 1984, o circuito do Estoril era palco da decisão do título. Alain Prost e Nikki Lauda já tinham dado o campeonato de construtores à McLaren, agora restava saber quem seria o campeão do mundo. Prost arrancava de segundo, enquanto Lauda via a sua tarefa mais dificultada, arrancando no 11.º lugar.

Anúncio Publicitário

Num tempo em que as desistências eram muito mais comuns, Lauda aproveitou esse fator (só neste Grande Prémio retiraram-se dez pilotos), mas o melhor foram as excelentes ultrapassagens que o austríaco proporcionou aos adeptos portugueses. No fim, conseguiu terminar em segundo, passando o Toleman de Ayrton Senna. Na frente da corrida, a vitória ficava para Prost, que beneficiava do abandono de Nigel Mansell no Lotus, devido a problemas de travões, mas não ficava com o título.

Um corrida épica, que ‘inaugurou’ o Estoril à Fórmula 1 de uma forma excelente. E em 1985, outro grande piloto estreou-se a vencer em Grandes Prémios, mas isso pode ler mais à frente neste artigo. Já Alain Prost seria campeão em 1985. Lauda, por outro lado, em 1985 teve um ano para esquecer e desta vez ‘reformou-se’ de uma vez por todas.

Reveja o Grande Prémio de Portugal de 1984 no vídeo colocado acima.