Cabeçalho modalidades

Sem contas por acertar, o mundial de F1 chegava ao fim no GP de Abu Dhabi. Com Lewis Hamilton campeão e Sebastian Vettel praticamente vice-campeão, os pontos altos eram certamente a luta de Construtores pela 6ª posição entre a Renault, Toro Rosso e a Haas e onde todos os pilotos querem dar o seu melhor na última prova de 2017 e a última prova de Felipe Massa na Fórmula 1.

Na qualificação, Bottas conquistou a Pole e Hamilton partiu de 2º, a Ferrari com Vettel alcançou a 3ª posição e Raikkonen a 5ª, e a Red Bull com Ricciardo em 4º e Verstappen em 6º lugar. A Mercedes finalizou o ritmo que se adivinhava nos treinos, na qualificação, e era de esperar um passeio para os germânicos na corrida, o que se viria a verificar.

No último tiro de partida de 2017, nada mudou no top 10, Bottas liderou de fio a pavio com Hamilton a rodar a menos de 2 segundos de distância, e os Mercedes paulatinamente abriram uma vantagem para Vettel bastante confortável. Raikkonen beneficiou do abandono de Ricciardo para alcançar o 4º posto e Verstappen nunca conseguiu incomodar o finlandês da Ferrari. Na luta pelo 6º lugar de Construtores a Renault levou a melhor, com Hulkenberg a terminar em 6º.

A corrida de Abu Dhabi teve pouco ou nada de emoção, não houve despiques nos lugares cimeiros, lutas só mesmo entre a meio e fim do pelotão e tivemos uma reedição da luta entre Massa e Alonso desta feita pela 9ª posição, com o brasileiro a conquistar o último lugar pontuável.

Final do campeonato em Abu Dhabi na vitória de Bottas Fonte: Fórmula 1
Final do campeonato em Abu Dhabi na vitória de Bottas
Fonte: Fórmula 1

O Mundial de F1 de 2017 chegou ao fim, Hamilton com a Mercedes conquistou o seu 4º título mundial mais cedo do que se pensava, foi no México mas provavelmente em circunstâncias normais seria em Abu Dhabi, no entanto, após uma maré de azar misturada com incompetência, a Ferrari deitou tudo a perder em Singapura, Malásia e Japão e entregou os títulos ao germânicos. Foi um ano particularmente emocionante entre Ferrari e Mercedes, com Vettel e Hamilton a serem os grandes protagonistas, como há uns bons anos não se via. Sinal mais para o ritmo de Verstappen, o holandês da Red Bull teve altos desempenhos este ano, só não obteve mais e melhor devido à falta de fiabilidade do motor Renault.

Para 2018, a F1 irá sofrer novamente novas mudanças nos regulamentos e na estética, com a introdução do ‘Halo’ e na redução de motores por ano para 3 por piloto. Resta saber se irá criar muitas controvérsias, aliás, o ‘Halo’ já criou, cria e certamente que irá criar mais vozes críticas. Em termos de equipas, para 2018, quer a Mercedes, Ferrari e Red Bull vão manter os seus pilotos, todos na mira de em 2019, devido ao final de contratos de Vettel, Bottas e Hamilton, contribuírem para novas mudanças no topo das melhores equipas da modalidade.

Em março de 2018 na Austrália, Hamilton e Vettel são ambos tetra campeões, ambos quererão ter a mão cheia, com Verstappen a ser o principal opositor. Em termos de estética, a introdução do ‘Halo’ marcará uma nova geração na modalidade, que por muitos tem sido criticada.

Foto de Capa: Fórmula 1

Comentários