E foi no Circuito de Spa-Francorchamps que se realizou a sétima ronda do Campeonato de Fórmula 1, bem como um fim-de-semana emocionante para quem está familiarizado com a categoria dos Desportos Motorizados, pois faz um ano do trágico acidente que vitimizou Anthoine Hubert na Fórmula 2.

A CORRIDA: POR ONDE ANDAS, MAX?

Depois de ser um fim-de-semana emotivo para a categoria pelas razões mencionadas acima, o domínio da Mercedes continua em alta, e a prova é mais uma dobradinha da Mercedes, em que Lewis Hamilton consegue o primeiro lugar, seguido do seu colega de equipa, Valtteri Bottas, e, para finalizar o pódio, temos Max Verstappen (Red Bull).

O domingo começa logo com Carlos Sainz (McLaren) a não poder participar da corrida, devido a problemas no carro logo antes da corrida começar.

Como supramencionado, a Mercedes tem-nos habituado a uma condução perfeita e uma estratégia sem falhas, com Lewis Hamilton e Valtteri Bottas a arrancar perfeitamente para a corrida. Apesar de leves problemas em ambos os carros, não foi suficiente para os «Flechas Prateadas».

Anúncio Publicitário

Em relação a incidentes de corrida, na volta 11 deu-se a entrada do safety car, após o despiste «aparatoso» de Antonio Giovinazzi (Alfa Romeo) que resultou também no despiste de George Russell (Williams). Poderia ser uma oportunidade para se tornar uma corrida mais interessante nos lugares da frente, mas não se sucedeu.

No meio pelotão, destaque para o arranque fabuloso de Daniel Ricciardo (Renault), que começando de quarto lugar, ainda tentou voltar aos velhos tempos da Red Bull e dar luta ao antigo colega de equipa, mas sem grande sucesso. Porém, o australiano conseguiu manter o lugar de origem. Já Esteban Ocon consegue o quinto lugar, juntando mais uma boa performance da equipa francesa.

O segundo homem da Red Bull, Alex Albon, termina em sexto lugar, seguindo-se Lando Norris (McLaren) e, uma corrida extraordinária de Pierre Gasly (AlphaTauri) leva o piloto francês ao oitavo lugar. Para finalizar os pontos, temos os homens da Racing Point, Lance Stroll e Sergio Perez.

Por fim, os Ferrari de Sebastian Vettel e Charles Leclerc, como esperado, nem chegaram aos pontos, acabando em 13.º e 14.º lugar, respetivamente. Kimi Raikkonen (Alfa Romeo) ainda esteve a «cheirar» os pontos, mas sem sucesso.

Numa pista tão complexa como a de Spa-Francorchamps, e, sem chuva para provocar o caos, foram 44 voltas tranquilas para a Mercedes, que, sem grande esforço, acabam por dominar mais uma ronda do campeonato.

Sendo Max Verstappen a nossa única esperança para travar um pouco o domínio da Mercedes, a verdade é que, sem uma Ferrari competitiva, temos que esperar pela próxima ronda – o Grande Prémio de Itália – para ver se é desta que o piloto holandês consegue repetir o feito do GP do 70.º Aniversário.

Foto de Capa: Mercedes AMG-F1