cab desportos motorizadosA Fórmula 1 está de volta! A Austrália foi o palco do regresso da modalidade e do início da temporada, que conta já com a sua quota-parte de agitação.

E se a pausa de inverno foi pautada pela controvérsia à volta do novo modelo de qualificação, o primeiro Grande Prémio do ano seguiu a tendência. As novas qualificações assentam numa base de eliminação directa – com todos os veículos em pista –, em que os pilotos mais lentos vão sendo eliminados a cada minuto e meio. Na Q3, já com apenas dois carros a lutar pela pole-position, a ideia era criar um autêntico duelo pelo primeiro lugar no grid. Na Austrália, tudo correu mal – antes ainda da corrida, as altas instâncias da F1 reuniram e decidiram que já no próximo GP, no Bahrain, a antiga qualificação estará de volta.

As primeiras duas rondas ainda tiveram o seu “quê” de emoção, principalmente no final da Q1. A novidade e a surpreendente falta de tempo agitaram as equipas e causaram uma confusão positiva. Mas na Q3, os pilotos optaram por realizar apenas uma tentativa, numa estratégia de poupança dos pneus, deixando a pista vazia nos últimos minutos. A bandeira axadrezada acabou por ser levantada apenas pelo simbolismo.

Em pormenores mais pragmáticos, Lewis Hamilton conquistou a 50.ª pole da carreira. Rosberg confirmou a dobradinha da Mercedes, e Vettel, que abdicou da última tentativa, saiu do terceiro lugar da grelha.

O estado do McLaren de Alonso Fonte: F1
O estado do McLaren de Alonso
Fonte: F1

O GP da Austrália iria provar se a hegemonia da Mercedes está viva e pronta para continuar, ou se a Ferrari decidiu que tem uma palavra a dizer. E, pelo menos no arranque, todos acreditaram que a última seria a verdadeira. Sebastian Vettel realizou uma arrancada digna de ver e rever e colocou-se de imediato à frente dos dois Mercedes. Bem pertinho, Kimi Raikkonen aproveitou o embalo do colega de equipa e roubou a segunda posição – à nona volta, os dois Ferrari tinham a corrida controlada a seu favor.

Anúncio Publicitário

Mas na volta 17, a corrida deu uma volta de 180°. Um aparatoso acidente entre Fernando Alonso (McLaren) e Esteban Gutierrez (Haas) causou a amostragem da bandeira vermelha e a consequente interrupção da corrida. Quando Alonso tentava passar Gutierrez, o mexicano da Haas guinou o carro para a esquerda, causando o embate entre os dois veículos. O McLaren capotou a grande velocidade e ficou praticamente destruído. Ainda assim, e felizmente, Fernando Alonso saiu do monolugar pelo próprio pé.