cab desportos motorizados

O fim-de-semana do Grande Prémio da Áustria começou com uma qualificação atribulada e repleta de erros – muitos erros. Lewis Hamilton acabou por conseguir uma pole-position por demérito dos seus adversários, incluindo o colega de equipa; as voltas de qualificação do inglês não foram brilhantes, tendo chegado a despistar-se na última. Ainda assim, ninguém conseguiu aproveitar. Nico Rosberg saiu de pista na sua última tentativa, tendo saído da segunda posição, e Vettel classificou-se em terceiro. Uma das desilusões foi Kimi Raikkonen: o piloto da Ferrari ficou pela Q1 e saiu da 14.ª posição, beneficiando das múltiplas penalizações que marcaram esta qualificação. Augúrio, talvez, do que viria a acontecer ao finlandês já em prova.

Hamilton arrancou mal e foi rapidamente ultrapassado por Rosberg – o alemão estava do lado sujo da pista. Desta vez, o piloto inglês só se pode queixar da sua má sorte ou dos erros de principiante que acabou por cometer. Além de perder a liderança da corrida na fase embrionária da mesma, foi penalizado em 5s por passar por cima da linha branca à saída das boxes. A Áustria revelou-se um palco de escassa fortuna para Lewis Hamilton.

Enquanto Nico Rosberg geria a frente da corrida, Sebastian Vettel perdia o pódio para Felipe Massa. Uma má gestão dos tempos de paragem fez com que o alemão saísse atrás do Williams de Massa. E foi aqui que a experiência, os anos, e as mãos de piloto já calejadas fizeram a diferença: apesar da pressão do jovem da Ferrari, Massa não deu qualquer margem de manobra para uma eventual ultrapassagem. Vettel chegou a rodar na diferença dos 2s, mas o brasileiro da Williams não mais perderia o último lugar do pódio. Além de um excelente terceiro lugar de Massa, também o colega de equipa Valtteri Bottas alcançou uma excelente quinta posição. A Williams volta a afirmar-se como a única scuderia que faz frente à Mercedes e à Ferrari nos lugares cimeiros da classificação.

Os vencedores da corrida Fonte: Facebook Mercedes AMG Petronas
Os vencedores da corrida
Fonte: Facebook Mercedes AMG Petronas

O GP austríaco fica também marcado por um dos acidentes mais arrepiantes desta época. Logo na primeira volta, Kimi Raikkonen perdeu o controlo da traseira do Ferrari e foi completamente engolido pelo McLaren de Alonso, que tentava a ultrapassagem. Felizmente, os dois pilotos saíram ilesos do embate. Como é perceptível, nestas circunstâncias ambos foram obrigados a abandonar a prova; a McLaren enfrentou mais um duplo abandono, pois também Button viria a desistir depois de um problema na transmissão. A equipa, que outrora brilhou com os sucessos de Senna e Prost, vive agora um dos seus períodos mais negros na história da F1.

E, mais uma vez, os minutos mais emocionantes da recta final deste GP tiveram lugar na luta pelos pontos. Pastor Maldonado (Lotus) conseguiu um suado sétimo lugar, e Ricciardo (Red Bull), que na volta 50 ainda não tinha trocado de pneus, aguentou a 10.ª posição. O jovem Max Verstappen continua a fazer uma época de encher o olho, tendo em conta a tenra idade e a inexperiência: terminou em oitavo, à frente do Force India de Sergio Perez.

Mais um passeio para a Mercedes, mais uma vitória para Rosberg: o alemão está, mais uma vez, a apenas 10 pontos de Lewis Hamiton. É o 40.º pódio da carreira para o enorme Felipe Massa. Segue-se Silverstone, em Inglaterra, um circuito mais rápido que vai pôr à prova o chassi dos veículos.

Foto de capa: Facebook Mercedes AMG Petronas

Comentários