Com quatro corridas realizadas na temporada de Fórmula 1, ninguém pode julgar muita coisa, ainda mais quando se trata de um estreante na categoria. Apesar de alguns episódios de raiva pouco comuns e erros de principiante, ninguém pode duvidar do talento de Yuki Tsunoda. O japonês já faz parte do futuro da modalidade.

Depois de substituir o russo Daniil Kvyat, houve quem pusesse em questão o mérito do jovem piloto. No entanto, com apenas um ano de Fórmula 2 nas pernas, a Red Bull não teve dúvidas e colocou todas as fichas em Yuki, tornando-o um dos ocupantes da Scuderia AlphaTauri durante o ano de 2021, ao lado de Pierre Gasly.

Parte desta promoção foi um prémio depois do terceiro lugar na geral da F2, ficando atrás de Callum Ilott e do vencedor, Mick Schumacher. No único ano na categoria inferior, o piloto ainda venceu três corridas e conquistou o prémio de melhor Rookie. Depois de surpreender, tornou-se o primeiro piloto nascido nos anos 2000 na Fórmula 1.

Anúncio Publicitário

No mais alto nível do automobilismo, Yuki Tsunoda tinha em mãos um carro capaz de lutar pelas posições do meio da tabela na F1. Depois de o colega de equipa, Pierre Gasly, ter vencido o GP Itália na temporada anterior, espera-se sempre algo de surpreendente por parte da AlphaTauri.

A estreia não podia ter corrido melhor. No Bahrain, após algumas ultrapassagens com um nível de dificuldade elevado, Tsunoda terminou no nono lugar. Os primeiros dois pontos já estavam no mealheiro e as expectativas atingiram um nível que fazia prever demasiado para um estreante na categoria rainha.

Contudo, nos grandes prémios seguintes, uma nuvem negra tem pairado no carro do número 22 da grelha. No GP Itália, em Monza, terminou no 12.º posto. Na semana seguinte, em Portugal, depois de alguns erros, acabou com o 15.º lugar. Na última corrida, em Barcelona, no GP Espanha, não terminou a corrida devido a um problema mecânico.

Além dos resultados aquém do esperado, o temperamento de Tsunoda tem sido criticado. São várias as vezes em que o nipónico é indelicado e muito crítico com o carro que está a pilotar. Quem conhece o piloto há mais anos, sabe que estes episódios são comuns, mas bastante condenáveis nas regras da Fórmula 1.

Apesar de tudo, é inegável a qualidade de Yuki quando está ao volante do AT02. Ainda faltam bastantes etapas para o final da época e, mesmo com alguma turbulência, continua a ser candidato ao melhor estreante da temporada. A equipa dá espaço para crescer e ainda vai errar muito, mas é quase certo que vai dar muitas alegrias durante os próximos anos.

Foto de Capa: Scuderia AlphaTauri 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome