Anterior1 de 2Próximo

Ai, o “mercado de transferências”! Finalmente! Falta uma ronda para acabarmos o Mundial de Ralis de 2018, não temos campeão definido, mas a temporada de 2019 já promete muito. Kris Meeke está de volta, desta vez com a Toyota Gazoo Racing. Esapekka Lappi vai ser companheiro de Sebastien Ogier na Citroen, o que fará a M-Sport? Vai trazer Sebastien Loeb? Não me cheira, mas nunca se sabe. Caro leitor, vamos ao que interessa agora, 2018 não acabou e ainda não temos campeão.

Penúltima prova do campeonato, o rali da Catalunha. Três dias de rali e duas superfícies completamente diferentes. Gravilha e asfalto, de um dia para o outro. Não só o terreno foi atração este ano. No WRC2, a Volkswagen estreou o seu novo modelo, o Polo R5. Pilotado por Eric Camilli e pelo campeão de 2003 de ralis, Petter Solberg. O rei da Gymkana também estava de volta ao WRC, Ken Blcok pilotava mais um Ford Fiesta WRC da M-Sport. Na Citroen, regressava o nove vezes campeão do mundo, Loeb. 

O líder do campeonato começou o rali com um estrondo. Thierry Neuville capotou o Hyundai i20 Coupé WRC no shakedown. Nada de grave, a equipa sul-coreana colocou o carro em boa forma e lá se começou as especiais “a doer”. 

Solberg mostrou o novo modelo da marca alemã Volkswagen
Fonte: WRC

No primeiro dia, os pisos eram de gravilha. Tanto Neuville como Ogier fizeram uma má escolha de pneus e não conseguiram atacar a liderança da sensação da segunda parte da temporada. Ott Tanak seguia na frente, com Elfynn Evans e Dani Sordo na sua perseguição. Infelizmente não podemos contar com o americano Ken Block no rali completo, já que este capotou o Fiesta logo no primeiro dia. 

Anterior1 de 2Próximo

Comentários