cab desportos motorizadosO novo ano está quase a começar, e como é hábito a prova a que chamam Dakar vai para a estrada logo no seu início (dia 2) com os portugueses mais uma vez a sonharem com uma possível vitória nas motos e com bons resultados dos sete (mais dois navegadores nos carros) pilotos lusos.

Nas motos é onde temos mais pilotos – cinco -, e três deles com aspirações à vitória à geral. Paulo Gonçalves continua com a Honda e parte para a estrada com o número 2; apesar disto será o número mais baixo em prova, uma vez que este ano não vai haver número 1. Marc Coma, que o deveria ter na sua mota por ter vencido o ano passado, reformou-se, o que só pode ser uma boa notícia para a armada lusa. Gostava ainda de relembrar que o “Speedy” o ano passado esteve sempre no pódio à geral e venceu uma etapa.

Com o número 7 temos Hélder Rodrigues, terceiro em 2011 e 2012. Regressou à Yamaha, depois da passagem pela Honda, após um decepcionante 12.º lugar à geral do ano passado devido a problemas numa etapa, mesmo assim conseguiu vencer duas etapas. Já Ruben Faria, segundo classificado de 2013, trocou a KTM pela Husqvarna. O número 8 quer melhorar o seu sexto lugar de 2015 numa luta que se espera muito animada e onde se terá de juntar mais alguns nomes como Toby Price, Joan Barreda ou Pablo Quintanilla.

Fora este trio luso temos ainda Mário Patrão (número 44) em KTM e Pedro Bianchi Prata (número 70) em Honda. Patrão quer tentar melhorar o 30.º lugar obtido em 2013, depois de ter desistido em 2015, e Bianchi Prata quer tentar melhorar o 29.º lugar de 2014, depois de não ter participado o ano passado.

Paulo Gonçalves quer melhorar o seu segundo lugar de 2015 Fonte: Facebook Paulo Gonçalves
Paulo Gonçalves quer melhorar o seu segundo lugar de 2015
Fonte: Facebook Paulo Gonçalves

Nos carros Carlos Sousa (número 309) é o único nome português como piloto, ele que é navegado por Paulo Fiuza. O piloto de Lisboa continua com a Mitshubishi depois de ter conseguido o oitavo lugar o ano passado e tenta manter-se no top10 este ano. Carlos Sousa é um dos pilotos mais consagrados da prova: mesmo nunca tendo conseguido ir ao pódio, a sua consistência torna-o num dos mais respeitados entre os pilotos. Com o número 313 na porta vai Filipe Palmeiro, continuando ao lado de Boris Garafulic. Palmeiro continua assim aos serviços da X-Raid, que faz correr os Mini.

Anúncio Publicitário

Nesta vertente da prova sul americana os nomes de Sébastien Loeb e de Mikko Hirvonen saltam à vista de uma lista muito bem composta e que tal como nas motos promete muita emoção. A Peugeot depois de um ano de estreia muito negativo quer dar uma outra imagem e intensificar a luta com os Mini e a Toyota.

O último português em prova é José Martins, nos camiões. O piloto da Covilhã vai ter na porta do seu Renault o número 551 e vai tentar chegar ao fim depois de no ano anterior não ter conseguido tal feito.

A prova começa então dia 2, e vai decorrer até dia 16 na Argentina e na Bolívia. A Eurosport terá resumos diários da prova, mas a melhor forma de acompanhar a prova ao minuto é através do site da competição.

Imagem de capa: Facebook Carlos Sousa