O mundial de motociclismo parou por terras holandesas para mais um grande prémio. Com história, muita história.

Se estamos habituados a ter finais de corrida frenéticos, esta prova  no circuito de Assen foi contra toda as expectativas. E podemos começar, desde logo, pelo homem da pole position: Fabio Quartaro que brilhou na sessão de qualificação no sábado e prometia intrometer-se na luta pelos primeiros lugares.

A prova começou com um excelente arranque dos homens de Viñales e Rins. Márquez corria atrás do prejuízo e tentava não perder os homens da frente, e por lá andava também Quartaro que se impôs perante os tubarões da classe rainha.

Alex Rins liderou durante algumas voltas, mas acabou por travar cedo demais, perdendo a frente a sua mota e qualquer hipótese de conquistar a vitória. Também Valentino Rossi continuava com a sua maré de azar ao cair na entrada para a curva 8, levando consigo Nakagami.

Lá na frente, a luta continuava frenética. Márquez, Viñales e Quartaro iam trocando de posições e distanciando-se  do resto do grupo, enquanto Dovizioso travava uma luta intensa com o seu colega de equipa, Danilo Petrucci, pela quarta posição.
Dovizioso e Petrucci lutaram por um lugar no pódio
Fonte: Ducati

Maverick Viñales parecia determinado em levar a Yamaha ao lugar mais alto do pódio, enquanto Márquez parecia não ter armas para lutar de forma direta com o rival espanhol. Ambos foram cometendo pequenos erros ao longo da corrida, numa tentativa louca de manterem a primeira posição.

Nessa luta frenética, Viñales ia levando a melhor sobre Márquez, que a certa altura começou a pensar no campeonato e não tanto na vitória. Mais vale 20 pontos no bolso, do que uma queda.

Se lá na frente, o piloto da Yamaha parecia ter tudo resolvido, a luta pelo terceiro lugar do pódio estava renhida com as Ducati a atacarem fortemente Quartaro que queria continuar a fazer história e a terminar a corrida no último lugar do pódio.

Dovizioso e Petrucci puxaram dos galões, mas foi Quartaro que levou a melhor sobre os dois pilotos italianos na entrada para a reta da meta. Na frente, Viñales conseguia a primeira vitória da Yamaha esta temporada e Márquez aumentava o fosso na liderança do campeonato.
Oliveira continua a somar pontos na classe rainha do motociclismo
Fonte: Red Bull KTM Ajo
Também o português Miguel Oliveira fez uma prova segura, após ter partido da 20.ª posição. O falcão de Almada foi tentando recuperar lugares ao longo da corrida, beneficiando também de algumas quedas, e acabou a prova em 13.º lugar.

Com este resultado, o português pontuou pela segunda vez consecutiva esta temporada de estreia.

 

Foto de Capa: Moto GP

Comentários