cab desportos motorizadosOntem, falei sobre as motas e sobre as possibilidades de um português vencer esta categoria no Dakar. Hoje, tal como disse no fim do primeiro artigo, vou falar sobre as restantes categorias em disputa na América do Sul.

percurso do Dakar
Percurso de 2014 do Dakar
Fonte: sulinformacao.pt

Começando pelas quads – única categoria sem portugueses –, o grande candidato é Marcos Patronelli. Este argentino ganhou em 2010 e 2013, e ficou em segundo na edição de 2012. Nos 41 concorrentes desta categoria, que se disputa desde 2009, existem mais alguns corredores com possibilidade de vitória, embora improvável, tal o conhecimento e experiência do argentino. O chileno Ignacio Casele, o polaco Rafal Sonic e o holandês Sebastian Husseini são os outros favoritos, mas com uma luta mais provável pelo pódio.

Passo agora para os camiões, desta vez sem Elisabete Jacinto, por estar presente a participar na África Eco Race (uma prova semelhante ao Dakar original).

Nikolaev e o seu camião
Nikolaev, com o seu Kamaz, em 2013.
Fonte: redbull.co.uk

Nesta categoria, é esperado que os russos dominem, quer por pilotos quer por camiões (Kamaz). Eduard Nikolaev é o grande candidato à vitória, depois de já ter vencido no ano passado. Ayrat Mardeev será – provavelmente – o único piloto que pode impedir o triunfo de Nikolaev. Andrey Karginov e Gerard de Rooy devem lutar entre si pelo último lugar do pódio, sendo que de Rooy é, destes quatro, o único não russo e o que não conduz um Kamaz. O holandês, vencedor de 2012, está ao volante de um Iveco.

Aqui, temos dois portugueses. Pedro Velosa vai estar no MAN número 553, conduzido pelo alemão Udo Kühn. Velosa é um copiloto experiente neste tipo de provas. No Renault com o número 555, vai José Martins, mecânico nascido na Covilhã. O piloto responsável por este camião é Michel Boucou.

Anúncio Publicitário

Finalmente, os carros, categoria onde se espera uma luta animada pela vitória. Stéphane Peterhansel e Nasser Al-Attiyah são os grandes candidatos. O francês é o recordista de vitórias no Dakar, tendo ganhado por 11 vezes a prova, seis nas motos e cinco nos carros, tendo dois desses triunfos ocorrido nos dois últimos anos. Al-Attiyah também já venceu o Dakar, em 2011, na última vitória da Volkswagem antes do abandono da modalidade. O piloto do Catar é um verdadeiro desportista, já que, além do Dakar, faz ralis no WRC e no campeonato do Médio Oriente (onde é tricampeão) e já participou em cinco Jogos Olimpicos em Skeet masculino –uma prova de tiro – tendo ganhado a medalha de bronze em Londres. Ambos os pilotos vão estar ao volante de um MINI.

Carlos Sainz e Gilles de Villiers, também eles antigos vencedores do Dakar, em 2010 e 2009, respetivamente, são os grandes candidatos a discutir o último lugar do pódio e, quem sabe, fazer frente aos MINI. O espanhol participa com um Buggy, enquanto o sul africano participa com um Toyota. Sempre espetacular é Robby Gordon com o seu Hummer; o norte americano ficou em terceiro em 2009 e vai estrear este ano uma nova versão do carro. Outro piloto que pode surpreender é Nani Roma, também ele em MINI; ele é, aliás, um ex-vencedor, mas em motos, no ano de 2004. Outra novidade interessante para esta edição é a entrada da Ford, que, com o Ranger piltotado por Lucio Alvarez e por Chris Visser, pode ser uma surpresa bastante positiva.

Carlos Sousa
O carro de Carlos Sousa
Fonte: facebook.com/photo.php?fbid=610831828978223&set=pcb.610832185644854&type=1&theater

Focando agora nos portugueses presentes nesta categoria, o maior destaque tem de ir para Carlos Sousa, que vai ter na sua porta o número 306. Sousa é acompanhado por Miguel Ramalho e vão conduzir o Haval à melhor posição possível, sendo o top 10 o objetivo. Este é o terceiro ano da parceria luso-chinesa, sendo que Sousa ficou nos outros dois no sexto posto. Paulo Fiúza é o navegador de Orlando Terranova. O argentino conduz um MINI e espera alcançar os 10 primeiros lugares e, se possível, o pódio. Também como navegador de um piloto da MINI está Filipe Palmeiro. Este portalegrense tem como missão navegar o rookie, de apenas 23 anos, Martin Kaczmarski, vindo da Polónia. Completando os portugueses em prova temos a dupla Francisco Pita/Humberto Gonçalves. O objetivo deste par é o top 40; para tal, vão usar o Buggy SMG Gache.

Emidio Guerreio com os participantes do Dakar, bem como os da África Eco Race.  Fonte: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=680135382018103&set=pcb.680135825351392&type=1&theater
Emidio Guerreio com os participantes do Dakar, bem como os da África Eco Race.
Fonte: facebook.com/photo.php?fbid=680135382018103&set=pcb.680135825351392&type=1&theater

Gostaria ainda de destacar a presença de Albert Lloverá com o número 352. Tomei conhecimento deste piloto apenas em 2008, quando se deslocou a São Miguel para a disputa do SATA Rally Açores desse ano. O factor de destaque deste piloto é uma característica que o difere dos restantes: o andorrenho é paraplégico, depois de um acidente a fazer esqui, em 1985. Lloverá é ainda o atleta mais novo a participar nuns Jogos Olimpicos de inverno, com 17 anos, em Sarajevo, no ano de 1984. Desde o acidente que se dedica aos desportos motorizados, com destaque para os ralis. Esta vai ser a sua segunda participação no Dakar, depois da presença de 2007, do qual desistiu.

Não perca, a partir de amanhã, todos os desenvolvimentos de mais um Rally Dakar, esta que é uma das provas mais espetaculares e igualmente mediáticas. Resta-me desejar boa sorte a todos os concorrentes, com especial destaque aos portugueses.