Cabeçalho modalidadesO Rali da Polónia teve um pouco de tudo, mas um vencedor já habituado a estas andanças: Thierry Neuville foi o mais forte ao fim dos quase 320 quilómetros de prova. O piloto belga esteve irrepreensível e atacou onde teve de atacar, aguentando muito bem a pressão imposta por Ott Tanak.

O piloto estoniano mostrou que a vitória na Sardenha não foi ao acaso. Foi verdadeiramente espetacular e esteve em primeiro várias vezes durante o rali, incluindo a três troços do fim, quando desistiu. “Se queres ganhar tens que dar tudo…”, disse o piloto depois do acidente, uma verdade inquestionável, mas é preciso saber quando arriscar e que, por vezes, para ganhar é preciso não estar sempre a atacar. Neuville parece já ter percebido isto, depois dos dois baldes de água fria que foram as suas duas primeiras provas.

Outro piloto que esteve muito bem foi Hayden Paddon. O piloto da Hyundai não tem tido um ano fácil, depois do quarto lugar final do ano passado. Este foi o primeiro rali em que o piloto da Nova Zelândia conseguiu dar um ar da sua graça, fazendo uma boa prova, principalmente nos últimos dois dias. Este foi um rali muito bom para a marca coreana, visto que Dani Sordo terminou em quarto, ou seja, os três i20 WRC ficaram entre os quatro primeiros.

Sébastien Ogier terminou no pódio, mas não fez um bom rali, conseguiu terminar no pódio mais pelos azares e erros de outros pilotos, desde logo do seu colega de equipa, e não pelo que fez durante o rali em si. Destaque ainda para a estreia de Teemu Suninen com um WRC, neste caso o Fiesta, sendo que se não fosse um erro na última especial teria terminado em quinto. Este erro permitiu-lhe apenas ser sexto.

Tanak fez alguns troços do segundo dia sem asa traseira Fonte: EWRC
Tanak fez alguns troços do segundo dia sem asa traseira
Fonte: EWRC

A Citroën teve mais um rali complicado, mas mesmo assim viu Stéphane Lefebvre ser quinto, numa boa exibição do francês, claramente a melhor da temporada. Andreas Mikkelsen apareceu na equipa como ‘salvador’, mas as coisas não estão a correr bem ao norueguês, que foi apenas nono classificado, isto quando corria com um C3 atualizado.

Anúncio Publicitário

Por fim, na Toyota, Jari-Matti Latvala fez um bom rali, mas foi traído pelo seu Yaris, o que não lhe permitiu obter um bom resultado na Polónia. Juho Hanninen foi 10º, em mais uma prestação marcada pelas queixas do finlandês em relação ao motor do seu carro. Esapekka Lappi desistiu, não dando assim continuidade ao bom resultado na Sardenha.

O próximo rali é já no final do mês na Finlândia e as minhas apostas vão para a vitória de Ott Tanak, seguido de muito perto por Neuville e a fechar a pódio Latvala, mas a jogar em casa não me admirava nada que o homem da Toyota vencesse o rali, resta saber se o Yaris WRC quer que ele vença.

Foto de Capa: Thierry Neuville

Artigo revisto por: Francisca Carvalho