Sébastien Ogier e Julien Ingrassia (Toyota Yaris WRC) venceram a quinta ronda do campeonato mundial de ralis. O piloto liderou as rochosas estradas da Sardenha, em Itália, e arrecadou a sua terceira vitória neste ano. A sua prestação na ilha mediterrânica valeu-lhe a expansão da sua liderança no WRC e a sua 52.ª vitória no Mundial! Para além disso, garantiu-lhe uma vantagem de 11 pontos sobre Eflyn Evans, na classificação de pilotos.

O galês, vencedor do Rali de Portugal, ocupou o segundo lugar do pódio em Itália, após ter superado algumas complicações com o seu carro. Ao início, não se sentia muito bem e perdia mais de um minuto após a primeira mão. Após as mudanças na configuração, sentiu-se mais confortável e confiante com o seu carro, ganhando várias etapas e aumentando a liderança da Toyota sobre a Hyundai, com uma diferença de 49 pontos.

Anúncio Publicitário

Melhoraram as sensações do galês com o seu carro e um punhado de vitórias em etapas que impulsionou a aumentar a liderança dos fabricantes da Toyota na série sobre o Hyundai para 49 pontos.

Elfyn Evans, em declarações na conferência de imprensa pós evento organizada pela FIA, disse: “Na sexta-feira tive uma largada muito ruim, o oposto do que sentia o carro de Portugal. (…) não consegui sentir uma conexão com a estrada. Foi difícil, tínhamos que fazer alguma coisa. Você precisa de confiança para ir rápido aqui. Mas então foi diferente e assim que eu pude me sentir mais confortável as coisas foram ficando cada vez melhores”.

Enquanto líder do campeonato, Sébastien Ogier arrancou em primeiro na ordem de abertura da etapa na passada sexta-feira. A abertura da estrada nestas condições é um pouco ingrata, pois, com a passagem de cada carro, a estrada tornava-se mais limpa e proporcionava uma maior aderência. Com esta pequena desvantagem, era de esperar que o francês perdesse muito mais tempo. No entanto, terminou o primeiro dia na última posição do pódio, com uma diferença de trinta segundos do piloto que liderava, Ott Tänak.

O azar não larga Ott e Martin Järveoja (Hyundai I20 Coupé WRC). Enquanto lideravam a prova, embateram contra uma pedra, danificando a suspensão traseira e abandonaram o rali. É a segunda vez que um percalço interfere na liderança do estónio.

No dia seguinte, aquando do grande azar de Tänak no seu i20, Ogier “descansava” sabendo que, na final de domingo, arrecadava mais um número fantástico de vitórias na sua carreira.

O piloto francês, em declarações na conferência de imprensa pós evento organizada pela FIA, afirmou: “Foi um fim de semana incrível. Não esperava vir aqui e lutar pela primeira posição. (…) em Portugal não foi tão rápido como eu queria, por isso estou contente por voltar com um carro que gosto muito mais e tem mais potencial. Não é todo dia que se ganha a Sardenha enquanto o primeiro na estrada”.

Thierry Neauville, no seu Hyundai i20 Coupé WRC, ocupou o terceiro lugar do pódio, com uma diferença de cerca de 1 minuto e 5 segundos do líder do campeonato. O piloto sentiu dificuldades durante os três dias de provas, procurando melhorar o seu i20 que não estava de acordo com o que pretendia. Nem as melhorias fizeram com que estivesse apto a acompanhar o ritmo dos pilotos que tinham vantagem.

Em declarações à conferência de imprensa pós-evento, organizada pela FIA, Thierry Neuville afirmou: “Eu estava focado em deixar o carro mais rápido e mais ao meu estilo e na segunda passagem a velocidade foi boa, mas na primeira lutei muito. Infelizmente, Elfyn também foi capaz de ganhar velocidade. Eu estava impotente e percebi que tinha que continuar firme e ir para o Estágio de Força.”

A posição do belga não foi suficiente para a construtora Hyundai. No campeonato de construtores, ao conseguir os dois primeiros lugares em Itália, a Toyota aumentou a sua vantagem.

PODE VERIFICAR AQUI A CLASSIFICAÇÃO FINAL DO RALLY DA SARDENHA 

A próxima etapa, que será a sexta do Campeonato Mundial de Ralis, ocorre entre os dias 24 e 27 de junho, com lugar no continente africano em Naivasha, após muitos anos. O Rally Safari do Quénia não se realiza desde 2002.

Foto de capa: WRC

Artigo revisto por Joana Mendes

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome