cab futsal

O derby começou de forma muito intensa, como já é habitual, com o Sporting Clube de Portugal a querer tomar conta das incidências da partida logo desde o início e consequentemente a criar algumas ocasiões, com Juanjo a demonstrar que é um guarda-redes de classe mundial. Apesar da intensidade verificada na partida, notou-se sobretudo a ausência de Rodolfo Fortino, expulso na jornada anterior, para o lado leonino, e de Chaguinha, a contas com uma lesão muscular, para o lado do Sport Lisboa e Benfica, assim como Rafael Hemni, expulso no reduto do Boavista por agredir um adversário. Após esse início mais forte dos leões, o Benfica equilibrou a contenda e conseguiu, através de Fábio Cecílio, o único golo da primeira parte, quando faltavam apenas 10 segundos para o intervalo.

A toada do jogo manteve-se na segunda metade, com o Sporting agora a correr atrás do marcador e a ter de assumir riscos, mas o certo é que aos 8 minutos da segunda metade Miguel Ângelo marcou o golo do empate, num lance em que o jogador leonino engana o guarda-redes espanhol do Benfica, que contava com um cruzamento e foi assim traído. Pouco depois, Alessandro Patias é expulso e os encarnados foram forçados a defender e a evitar o golo do Sporting, que jogava em superioridade numérica. O objetivo foi cumprido e logo no lance em que o Benfica fez entrar o seu 5º elemento, num rápido contra-ataque, Gonçalo Alves finalizou da melhor maneira e recolocou as águias no comando do marcador, quando faltavam cerca de 6 minutos para acabar o jogo.

Até ao fim, o Sporting arriscou no 5×4 mas não foi capaz de inverter o marcador, muito em parte graças ao jogo inspiradíssimo do guarda-redes encarnado Juanjo, que assinou uma exibição magnífica, a fechar a porta ao Sporting sempre que o perigo rondava a baliza benfiquista.

Quero aproveitar para felicitar também o técnico Joel Rocha, que provou mais uma vez que os treinos servem para criar mecanismos na equipa capazes de surpreender os adversários, e o 1º golo é um bom exemplo disso, conforme o jogador Fábio Cecílio admitiu na “flash-interview”, que o lance do golo foi preparado na pausa técnica.

                         Um dos grandes obreiros do triunfo suado do Benfica, Joel Rocha Fonte: facebook “ SLB-modalidades”
Um dos grandes obreiros do triunfo suado do Benfica, Joel Rocha
Fonte: Sport Lisboa e Benfica
Anúncio Publicitário

Num jogo que, face ao peso que tinha, acabou por não ser muito bem disputado em alguns momentos, e a verdade é que o mais importante era ganhar, algo que o Benfica conseguiu. A “nota artística” fica para outros jogos, pois agora, isolados no comando, os encarnados irão ter outra confiança para continuar a disputar todas as competições em que as águias estão inseridas (campeonato, taça de Portugal e UEFA futsal Cup).

Comentários