cartaaberta

Pois é, sportinguista, o fim de semana de que estamos à espera desde final de novembro está mesmo aqui à porta, e todos nós sonhamos com o único título que nos falta no futsal masculino.

Como estou a estudar na Turquia não vou conseguir ir à MEO Arena, mas por outro lado, estando aqui em Istambul, tenho a oportunidade de estar num país que realmente ama o desporto, seja ele futebol ou um qualquer de pavilhão.

Nas últimas semanas tive oportunidade de ver dois jogos da Euroliga, o primeiro entre Fenerbahçe e Anadolu e o segundo entre o mesmo Anadolu e o Real Madrid. O ambiente em qualquer um dos pavilhões fez com que a equipa da casa ganhasse; em qualquer um dos casos, os jogos foram disputados em pavilhões com a mesma lotação de onde vai ser a final do futsal. A receita é simples: assobiar a equipa adversária sempre que possível, por exemplo, quando são apresentados ou quando têm a bola, e apoiar o Sporting desde o primeiro segundo em que apareçam na quadra.

No primeiro jogo que fui ver, os árbitros tomaram duas decisões seguidas erradas contra o Fenerbahçe, que meteram o Anadolu na frente do marcador a uns cinco minutos do fim. A partir deste segundo erro, o pavilhão transformou-se num verdadeiro inferno para os jogadores do Anadolu, que mal conseguiam jogar tal o barulho que os adeptos faziam, e quando o Fener estava no ataque todo o pavilhão cantava. Penso que é inegável neste jogo que quem o ganhou foram os adeptos.

No jogo do Efes contra o Real Madrid nem foi preciso erros de árbitros. O Anadolu ou ganhava ou era eliminado da Euroliga, o que na prática vai acontecer ao nosso Sporting. Mas onde se pode ver mesmo a importância dos adeptos não é quando o Anadolu esteve por cima do jogo – aí é fácil apoiar. Depois de estar a ganhar por mais de 10 à entrada do último quarto, ver o Real Madrid cada vez mais perto no marcador, e o sonho de chegar à Final Four começar a transformar-se mesmo só num sonho, tornou os adeptos ainda mais fortes e em parte os responsáveis pela vitória, visto terem passado a mensagem de que acreditavam na equipa.

Nós sportinguistas dizemos que somos os melhores adeptos do mundo. Deixem-me discordar desta opinião; os gregos ou os turcos são muito melhores do que nós, isto para não sair da Europa. Mas também penso que é fácil ver que somos os melhores em Portugal e principalmente os mais fiéis. Agora é preciso passar das redes sociais este nosso apoio e mostrar nas bancadas que somos realmente os melhores adeptos que uma equipa pode ter. O primeiro passo foi dado cedo, quando conseguimos esgotar os mais de 10 mil lugares do pavilhão com mais de um mês de antecedência e assim termos mais um recorde.

Na sexta jogamos em casa contra o “bicho papão” Barcelona, mas convém não esquecer que este ano já vencemos o Inter, equipa que terminou em primeiro em Espanha e que derrotou o Barcelona nos dois jogos. Para isso basta os jogadores serem Sporting, e apoiarmos a nossa equipa durante o jogo todo, como eu irei fazer aqui na Turquia. No domingo, eu quero poder dizer que pertenço a um dos únicos dois clubes (o outro é precisamente o Barcelona) que já foram campeões europeus em cinco modalidades diferentes.

Sportinguistas, façam do Meo Arena um ambiente tão bom para os nossos e tão hostil para os adversarios, como vi nestes dois jogos. Acreditem! Nós temos o poder de decidir um jogo. Força, Sporting!

Comentários