Anterior1 de 2Próximo

Com mais saídas do que propriamente entradas de jogadores, neste artigo analisamos a mais recente aquisição do SL Benfica: Ivan Chishkala. Ainda que sem qualquer confirmação e, consequente, apresentação por parte dos encarnados, foi o Gazprom-Ugra quem deu a notícia de que o pivô russo estaria de malas feitas para a ponta oposta do continente europeu.

É a mais de seis mil quilómetros, na cidade de Yugorsk, que vive o próximo pivô das águias e, para muitos, o “prodígio russo”. A notícia da vinda de Chishkala é muito importante para Joel Rocha, não só pela sua tremenda qualidade, mas também porque o SL Benfica precisava urgentemente de um pivô com as caraterísticas do russo. Sejamos sinceros… Fernandinho é um jogador de classe mundial, mas por muito que se queira não é um pivô habituado a ser “fixo”, acabando por ser demasiado móvel. E Fits? Bem… Muito respeito, porém, não anda nem perto dos melhores pivôs que já passaram pelos encarnados.

Deixando aquilo que são as lacunas atuais do plantel das águias, observámos à lupa as qualidades e as dificuldades que Ivan Chishkala demonstra dentro de quadra. O russo de 24 anos é considerado por muitos o grande prodígio do Futsal russo e tem sido um goleador nato no Gazprom-Ugra.

Desde 2014/15, o pivô tem mantido a marca de mais de 20 golos por época e esta temporada, que acabou por ser interrompida pela pandemia de COVID-19, ia já com 18 golos em 27 partidas. Contudo, Chishkala ainda terá oportunidade para balançar as redes das balizas adversárias, pois a 2 de agosto retomará a Liga Russa. Certamente, os adeptos encarnados estarão de olhos postos no pivô, numa espécie de tentativa – tal como estamos aqui a fazer – de observar a qualidade existente em Chishkala.

Anúncio Publicitário

O pivô russo tem um bom físico para a posição que ocupa, um excelente remate – principalmente o remate longo –, e é um bom batedor de livres. Nas jogadas ensaiadas, Chishkala pode ser fundamental, visto que no Gazprom-Ugra o pivô é muitas vezes solicitado para rematar de primeira após um passe longo, o que acontece por diversos momentos no jogo dos encarnados. Ou seja, as águias adquiriam um jogador para preencher as lacunas deixadas por algumas saídas. O russo demonstra muito pragmatismo e não denota grande interesse pelas habilidades exuberantes no momento de ultrapassar o adversário.

Anterior1 de 2Próximo

Comentários