No dia 28 de Abril de 2019, e depois de eliminar o clube mais titulado desta competição continental, o Inter Movistar FS de Ricardinho, o Sporting CP caminhava para mais uma final europeia com legítimas aspirações de poder, finalmente, ser feliz. Nuno Dias, treinador leonino, contava com uma equipa muito forte e muito bem orientada, capaz de trabalhar um conjunto de grandes individualidades e montar uma equipa fortíssima – das mais sólidas do velho continente.

A missão era muito complicada. O Sporting CP a jogar no Cazaquistão contra a equipa da casa, o AFC Kairat Almaty, que vinha motivado por ter deixado pelo caminho o FC Barcelona na fase anterior, e queria voltar ao topo da Europa depois dos êxitos de 2013 e 2015. Curiosamente, das quatro formações presentes nesta final four,era a única que nunca tinha conquistado este troféu, mas este dia prometia ficar na história do Futsal português.

Não vale a pena fazer um relato detalhado das incidências do encontro, até porque ainda é relativamente recente e, portanto, a memória ainda está fresca nas memórias dos adeptos portugueses, em geral, e do Sporting CP, em particular.

Foram 40 minutos gloriosos e memoráveis, culminando com um 2-1 favorável à equipa portuguesa com golos de dois jogadores italo-brasileiros extremamente influentes na manobra ofensiva dos leões, Diego Cavinato e Alex Merlim. O único golo dos cazaques foi nos minutos finais da autoria de Douglas Júnior.

Anúncio Publicitário

Nem este tento de honra dos cazaques, nem o “forcing” no final do encontro, nem o pavilhão cheio de adeptos afetos ao clube adversário serviram para travar a euforia verde e branca quando a buzina soou e o jogo se dava por terminado. Pela primeira vez na história, tínhamos um clube português campeão europeu num país estrangeiro, depois da épica conquista do SL Benfica em 2010, no Pavilhão Atlântico.

No longínquo Cazaquistão, em fins de Abril do ano passado, era assim escrita uma das páginas mais douradas do Futsal nacional. Quis o destino que o Leão fosse o rei da Europa durante mais algum tempo, graças à pandemia que vigora atualmente, mas, caso a Liga dos Campeões desta época efetivamente se realize, já se sabe que o campeão será necessariamente diferente, uma vez que o Sporting CP não conseguiu a qualificação para a Fase Final.

Tínhamos outro representante, o SL Benfica, mas infelizmente também falhou a qualificação para a fase decisiva, precisamente contra os leões. Apesar de tudo, dificilmente poderíamos estar melhor em termos continentais, pois temos o campeão europeu de equipas e somos a seleção campeã europeia em título nos seniores masculinos.

Foto de Capa: UEFA

Artigo revisto por Joana Mendes