A CRÓNICA: DUAS PARTES TÃO DIFERENTES…

O Sporting CP entrou em competição nesta fase com o estatuto de único representante português, sabendo da eliminação do SL Benfica no dia anterior perante o Kairat Almaty. Pela frente tinham uma tarefa muito complicada, uma equipa com um orçamento infinitamente superior e muita qualidade sobretudo individual, pois coletivamente a equipa leonina apresentava-se como melhor teoricamente.

O KPRF (traduzido, significa Partido Comunista da Federação Russa) prometia dar muito trabalho ao emblema português, e foi isso mesmo que se traduziu, um jogo muito bem disputado e equilibrado, em que o Sporting mostrou que não viajou até Zadar, na Croácia, apenas para passar férias.

Os Leões carregam consigo o peso da responsabilidade de lutarem até ao fim pelo título europeu, conquistado de forma épica, em 2019, perante o Kairat Almaty no seu pavilhão. Constantes alternâncias na liderança do marcador, chegando ao intervalo com um resultado de 3-2 favorável ao nosso representante, golos de Diego Cavinato (2) e Vinicius Rocha para os leões e Niyasov e Asadov para os russos. A equipa verde e branca marcou o primeiro golo, depois a equipa moscovita virou o marcador e o Sporting voltou a virar, e aqui chamo a atenção para o golo que deu o empate a dois, na altura.

Cavinato, aqui na final de 2019, foi uma das grandes figuras do jogo de hoje, ao apontar dois golos.
Fonte: UEFA

Deu para perceber a importância que as pausas técnicas têm e o lado mais estratega do melhor treinador português e sem dúvida um dos melhores, senão mesmo o melhor, do Mundo. Ele preparou uma tática para o canto que se seguia e essa correu exatamente como o técnico previra, um toque brilhante de calcanhar do capitão João Matos, a servir na perfeição Cavinato, que fuzilou o guardião adversário à entrada da área.

Anúncio Publicitário

A segunda parte nada teve a ver com a primeira, não houve qualquer golo, houve várias oportunidades para os dois lados, mas os guarda-redes estiveram muito bem e, por vezes, o desacerto dos atacantes impediu que as redes balançassem nesta derradeira metade.

A forma guerreira como os jogadores do Sporting se entregaram ao jogo e disputaram todos os lances foi incrível, e a forma magnífica como o 5×4 foi defendido sensivelmente nos últimos três minutos só dá, e peço desculpa se me estou a repetir, crédito e valor ao trabalho que Nuno Dias tem feito ao leme do Sporting nestes últimos anos.

Com o guarda-redes avançado, não houve uma ocasião de real perigo para a baliza defendida por Guitta. Individualmente, houve grandes exibições, nomeadamente Erick Mendonça, Guitta, João Matos, Cavinato, Rocha, etc mas o real destaque vai, sem sombra de dúvidas para o técnico dos leões, não só pela forma como conseguiu passar para a frente do marcador, mas sobretudo pela forma brilhante e incisiva como defendeu a sua vantagem, espreitando sempre um contra-ataque para ampliar a vantagem, sendo que algumas das melhores oportunidades foram do clube lisboeta, através de Erick num remate fortíssimo travado por Tsaider ou João Matos, que rematou ligeiramente ao lado, entre outras.

Depois de ultrapassado este grande obstáculo segue-se um reencontro com os espanhóis do Inter Movistar, já sem a sua estrela-maior Ricardinho, mas sempre um opositor muito forte, no próximo Sábado.

A FIGURA

Fonte: UEFA

Nuno Dias (Sporting CP) – Não poderia ser outro, na minha opinião. O coletivo esteve incrível, não havendo nenhum nome que estivesse acima da valia do Sporting enquanto equipa, e o treinador leonino orientou superiormente esta equipa, preparou bem os pontos táticos onde se podia superiorizar e conseguiu levar os seus comandados a uma vitória sofrida mas muito saborosa.

O FORA DE JOGO

Lin (KPRF) – O jogador espanhol, uma das estrelas da equipa russa, não conseguiu impor a sua qualidade individual no encontro a favor da equipa. Felizmente para o Sporting, esteve apagado o marcador de um dos golos na final épica do Euro 2018 entre Portugal e Espanha.

ANÁLISE TÁTICA SPORTING CP

A equipa leonina apresentou-se muito compacta, solidária e incisiva no ataque e na defesa. As táticas para desequilibrar o KPRF estavam bem definidas e trabalhadas e a forma como a equipa fechou espaços ao oponente na segunda parte e geriu a vantagem nos derradeiros 20 minutos foi estoica.

CINCO INICIAL E PONTUAÇÕES

Guitta (8)

João Matos (7)

Vinícius Rocha (7)

Alex Merlim (7)

Cavinato (8)

SUPLENTES E PONTUAÇÕES

Tomás Paçó (7)

Zicky (7)

Erick (8)

Taynan (7)

Pany Varela (7)

Pauleta (7)

ANÁLISE TÁTICA KPRF

O conjunto russo depende mais do brilhantismo das suas individualidades, mas hoje elas não apareceram quando a equipa mais precisava. Como já referi anteriormente, mérito para o sporting na forma como anulou e não deixou sobressair esses mesmos pontos fortes do adversário.

CINCO INICIAL E PONTUAÇÕES

Tsaider (7)

Bagirov (6)

Kruchinin (6)

Sokolov (6)

Burkov (6)

SUPLENTES E PONTUAÇÕES

Razorenov (6)

Raúl Gómez (7)

Lin (5)

Asadov (7)

Niyazov (7)

Fukin (6)

Paulinho (6)

Nando (5)

Foto de Capa: UEFA Futsal

Artigo revisto por Inês Vieira Brandão

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome