Terminou hoje a ronda de Elite da Liga dos Campeões de Futsal da UEFA. Agora já ficámos a conhecer os quatro emblemas apurados para a final four da competição europeia. Num grupo que significava muito para os adeptos portugueses devido à presença dos nossos dois representantes em prova – o SL Benfica e o Sporting CP -, o grupo C acabou por sorrir ao conjunto leonino. Este terminou no topo do agrupamento após duas vitórias sobre os russos do Sibiryak e os croatas do Novo Vrijeme, e ainda um empate contra o rival Benfica no último jogo.

As duas equipas portuguesas chegaram à derradeira jornada com o pleno de seis pontos. Contudo, os leões chegaram ao jogo final com uma melhor diferença entre golos marcados e sofridos, podendo, nesta partida final, jogar com a vantagem de poder selar o apuramento tanto com um triunfo como com um empate, algo que viria a revelar-se decisivo. Depois de ganhar por quatro golos sem resposta ao Sibiryak e seis golos a zero ao Novo Vrijeme, o Sporting teve a oportunidade de jogar o derby mais intenso do desporto português com um melhor goal-average do que o seu rival Benfica, que “apenas” ganhou aos croatas por cinco bolas sem resposta e aos russos por quatro-dois, significando assim que um eventual empate apurava os comandados de Nuno Dias.

O pavilhão João Rocha esteve lotado e com um ambiente fantástico de apoio, em números díspares, a ambas as equipas. O jogo foi inédito em competições europeias: foi pleno de intensidade e incrível, tendo ambas as equipas a procurar ganhá-lo. O resultado final é um espelho pleno daquilo que foi o jogo jogado na quadra, sendo que acabou por ser uma igualdade muito mais doce para o Sporting, em função daquilo que escrevi anteriormente. 

Guitta esteve sempre impecável a travar os remates de meia distância dos encarnados

Fonte: Carlos Silva/Bola na Rede

Observámos dois dos melhores clubes de futsal da Europa a digladiar-se pela vaga na fase final da Liga dos Campeões. Tivemos de tudo um pouco, desde grandes exibições dos guardiões – com especial destaque para Guitta, sempre atento a travar os remates de meia distância dos encarnados -, à incerteza no marcador até aos segundos finais, com destaque para o remate à barra de André Coelho a escassos segundos do final, num golo que, caso tivesse entrado, teria mudado tudo o que diz respeito ao clube apurado. Houve ainda golos de ambas as formações, de Robinho para as águias e de Cardinal para os leões, na marcação de um livre de dez metros.

Anúncio Publicitário

O que fica para a história é o apuramento leonino, que se junta assim aos outros clubes vencedores dos grupos, nomeadamente o Inter Movistar (A), Barcelona (B) e Kairat Almaty (D), na final four a disputar em local a designar pela UEFA.

Texto revisto por: Mariana Coelho

Foto de Capa: Carlos Silva/Bola na Rede