Anterior1 de 2Próximo

Cabeçalho modalidades

20 euros, era o valor a pagar para ter um lugar no Palácio Multiusos de Guadalajara, em Madrid, local onde se realizou mais uma edição da UEFA Futsal Cup. E que bem gasta esta nota azul, que permitiu assistir a quatro grandes encontros entre as equipas do top4 de futsal da Europa. E no fim ganhou a equipa russa, estreante nesta competição e que conseguiu, depois de uma final não aconselhada a pessoas com problemas cardíacos, roubar a taça ao três vezes campeão, o Inter Movistar espanhol.

O melhor jogo: Todos os jogos deste torneio foram equilibrados, justificando o porquê de serem estas as equipas finalistas. Contudo, o meu voto vai para o jogo da final. Fez-se justiça e lutaram pela taça as duas equipas que, na minha opinião, são as melhores da Europa. Um jogo disputado até aos últimos segundos, imprevisível e que terminou com a Victória da equipa que mais a merecia. O resultado ao intervalo era de 2-2, e terminou com um 4-3 suado e sofrido sem espaço para mau futsal.

-O melhor jogador: É uma decisão complicada. No Inter Movistar atua aquele que para mim é o melhor jogador da historia do futsal. Falo do 10 português, o mágico, o fenómeno, o maestro. Aquele que sempre que toca na bola faz magia, aquele que consegue colocar euforia e curiosidade em cada toque que dá, aquele que se atreve a fazer num jogo aquilo que muitos apenas se arriscam a fazê-lo nos treinos. Aquele que surpreende, que levanta multidões, que cada vez que pisa um pavilhão é ovacionado. Ricardinho, uma pessoa que não tem de esperar pela morte para ser considerado uma lenda. Infelizmente o craque português não esteve ao seu melhor nível nesta edição, talvez devido aos problemas físicos que apresentou, e por isso seria injusta ao considera-lo o melhor jogador do torneio. Fui surpreendida pelo futsal russo e por vários jogadores da equipa do Ugra, entre o atleta que conquistou o seu segundo título, o máximo goleador do torneio, o melhor jogador do 3-2 com o Benfica, o melhor do 4-3 com o Inter, entre Robinho, Andrei Afanasyev, Eder Lima e Marcênio, “que venha o diabo e escolha!”.

Juanjo, o melhor guarda-redes da prova
Juanjo, o melhor guarda-redes da prova

-O melhor guarda-redes: Sem dúvida o mestre em parar penaltis. Juanjo, o guarda-redes do SL Benfica, que conseguiu cobrir algumas das fragilidades da defesa das águias e que foi decisivo nas grandes penalidades do jogo para os 3º e 4º lugar. Eleito pelo comité técnico da UEFA o melhor jogador da final de consolação; merecido. O meu voto é igual.

Anterior1 de 2Próximo

Comentários