Este ano, algumas regras referentes ao sorteio da Ronda de Elite da Champions League de Futsal mudaram e deixa de ser a entidade reguladora e organizadora da competição, a UEFA, a decidir quais os pavilhões onde se realizam as provas. Essa escolha passa a ser feita através de sorteio.

A fase de candidaturas já terminou e, dos 16 clubes apurados para disputar esta competição, sete equipas manifestaram interesse em acolher a prova, de entre os quais destaco, obviamente, os nossos representantes, Sporting CP e SL Benfica. Aos portugueses juntam-se os russos do KPRF Moscovo e do Tyumen, os espanhóis do El Pozo Múrcia, os cazaques do Kairat Almaty, organizadores da final four de ótima memória para o futsal português com a conquista do Sporting, e, finalmente, os bielorrussos do Shalitsa Minsk.

A grande novidade deste ano consiste na maneira como se faz o sorteio, ou seja, destas sete candidatas, as quatro primeiras equipas a sair no sorteio garantem a organização de cada um dos grupos respetivos. As equipas que terminaram em primeiro lugar nos grupos da ronda principal não se podem cruzar nesta fase, logo um eventual duelo entre Sporting e Benfica só poderá acontecer numa possível fase final – algo que seria excelente para o nosso desporto e poder ter dois representantes na final a 4 seria ainda melhor, visto que apenas aconteceu na temporada 2010/11.

Um dos candidatos portugueses é o Pavilhão João Rocha, a casa das modalidades dos “leões”
Fonte: Sporting CP

Nesta época só se apurava uma equipa por país, mas nesta temporada entraram duas equipas porque o Benfica tinha sido campeão europeu na temporada 09/10. Um possível ponto a favor das nossas chances, embora tal não afete a escolha pois ela é feita através de sorteio puro, é o facto de tanto o Pavilhão Fidelidade como o Pavilhão João Rocha terem excelentes condições para a prática desta modalidade e não só.

Primeiro, é o facto de serem ambas construções modernas. O Pavilhão da Luz já tem 15 anos, mas ainda apresenta ótimas condições, enquanto que o Pavilhão João Rocha é bem mais recente e também é um edifício com instalações perfeitas para acolher um evento desta magnitude. Para além de existir muita segurança, que é mais do que óbvio que há. As forças da autoridade já estão habituadas a jogos de tensão máxima, sobretudo quando há dérbi Lisboeta.

O outro candidato português é o Pavilhão Fidelidade do SL Benfica
Fonte: SL Benfica

Um ponto menos favorável seria a baixa lotação dos dois pavilhões, mas isso será irrelevante aquando do sorteio. Matematicamente falando, as hipóteses de pelo menos um destes grupos jogar em Lisboa é grande, mas para o saber temos de aguardar até sexta-feira às 13 horas, horário em que se começam a determinar os grupos de acesso à fase mais desejada, mas em que só quatro equipas estarão presentes.

Só mesmo para finalizar, falta falar de mais alguns condicionalismos deste sorteio, nomeadamente o facto de os primeiros classificados na ronda principal não poderem encontrar os segundos posicionados do seu grupo na fase anterior (Benfica não pode jogar contra os Ucranianos do Kherson, ao passo que o Sporting evita os eslovenos do Dobovec) e por fim a distribuição dos potes.

O pote 1 está reservado apenas para os líderes da Main Round, o pote 2 para os terceiros classificados dessa fase e os vencedores do caminho B, ao passo que o pote 3 fica para os segundos classificados da ronda principal. Teremos então que esperar até sexta para saber com exatidão quem calha em sorte ao SL Benfica e ao Sporting CP.

Foto de Capa: SL Benfica

Artigo revisto por Inês Vieira Brandão

Comentários