Cabeçalho modalidadesFoi por pouco, mas não deu. Portugal perdeu por 6-5 e não conseguiu fazer história em Montreux, assim, o feito espanhol permanece intacto. Um jovem, mas experiente e vencedor, conjunto nacional acabou por cair aos pés de uma Argentina que levou, praticamente, a seleção que irá apresentar no mundial. Uma derrota que nenhuma vergonha causa a Portugal, afinal os indicadores foram bons. Venha o Mundial da China!

Numa final que se prevista escaldante, campeões europeus e mundiais entraram no jogo a tentar marcar cedo, com ataques bastante curtos, mas onde a definição não era boa, muito devido à ansia em marcar.

Aos sete minutos, através de uma transição ofensiva, Mathias Platero inaugurou o marcador. Na resposta, Gonçalo Alves, tal como Hélder Nunes fizera na véspera, disparou um míssil do meio campo e restabeleceu o empate.

O jogo estava a ser disputado a bom ritmo e estes dois golos ainda o animaram mais. Com o passar dos minutos, as duas seleções começaram a optar por um hóquei em patins mais pensado, mas a bom nível, sobretudo Portugal. No entanto, não era fácil entrar na defesa de nenhuma das seleções. As poucas oportunidades que existiam eram desperdiçadas.

Nicolia voltava a colocar a Argentina na frente por 3-2 Fonte: Coupe des Nations de Rink Hockey
Nicolia voltava a colocar a Argentina na frente por 3-2
Fonte: Coupe des Nations de Rink Hockey

Num lance de sorte, Mathias Pascual aproveitou um ressalto de bola e voltou a colocar a Argentina na frente. Do nada, a seleção portuguesa estava, novamente, em desvantagem e apesar das melhores oportunidades, as que contam são as que entram. Todavia, a três minutos do intervalo, foi a vez dos comandados de Luís Sénica terem alguma sorte. Nicolia cometeu um erro, que resultou numa falta no interior da área sobre Hélder Nunes. Na respetiva grande penalidade, João Rodrigues apontou o 2-2. Logo a seguir, penalti para a Argentina por falta de Luís Querido sobre Lucas Ordoñez. Nicolia permitiu a defesa de Pedro Henriques, que entrou para defender.

Anúncio Publicitário

A menos de trinta segundos para o intervalo, cartão azul para Gonçalo Alves por falta sobre um jogador argentino. Pedro Henriques voltou a entrar para defender e conseguiu parar o livre-direto de Lucas Ordoñez.

Chegado o intervalo, registava-se um empate a 2-2. Justo para aquilo que Portugal e Argentina apresentaram em pista, apesar do conjunto luso ter tido mais e melhor oportunidades.