Cabeçalho modalidadesNum dos principais jogos da 2ª jornada do Nacional de Hóquei em Patins, o Porto conseguiu passar sem grandes dificuldades em Viana. Vencendo a Juventude local por 8-4, resultado que pode parecer á primeira vista algo exagerado, mas que a não finalização de livres-diretos e penaltis ajudou a criar.

O início de jogo apresentou um Porto que, muito mais perigoso e decidido em atacar a baliza de Jorge Correia, limitou o Viana a tentar chegar á baliza de Carles Grau, em saídas rápidas. Sempre que conseguia ter a bola por mais tempo raramente conseguia entrar na defensiva azul e branca, tendo como principal arma as seticadas de meio campo que pouco incomodavam. No entanto, acabou mesmo por ser a equipa da casa a abrir o marcador. Contra-ataque rápido onde o recém “quarentão Tó” Silva aproveitou o passe de Gonçalo Suissas para fazer o 1-0.

Aberto o marcador, a vantagem do Viana não durou muito, pois Gonçalo Alves aproveitou uma bela movimentação coletiva da sua equipa, para ficar com espaço e disparar rumo ao empate no marcador. A nova igualdade pouco durou, visto que aos dez minutos de encontro novo contra-ataque do conjunto da casa, que deixou “Tó” Silva isolado, que não desperdiçou, e bisou no jogo. Contudo, no minuto seguinte a segunda vantagem da Juventude terminou, devido a um golo de Jorge Silva.

Retomada a estaca zero com o novo empate, agora a 2-2, o Porto começou a acertar melhor defensivamente, mantendo o ímpeto atacante, o que lhe valeu passar para a frente do resultado pela primeira vez. Na zona intermediária do terreno, Reinaldo Garcia enrola a bola em busca de Vítor Hugo que apareceu solto ao primeiro poste, para fazer o 3-2. Logo a seguir, o Viana teve uma enorme chance para empatar ao beneficiar de uma grande penalidade, mas Hugo Azevedo atirou por cima. Não marcou a equipa da casa, marcou a equipa visitante. Mais uma bela movimentação coletiva do Porto, que termina com Telmo Pinto a assistir Toni Baliu no interior da área para o 4-2 portista.

Com o jogo controlado, o Porto procurava chegar ao intervalo a vencer por duas bolas de diferença, mas numa saída rápida de Francisco Silva Baliu faz falta para cartão azul. “Tó” Silva tentou o hacttrick mas não conseguiu marcar. Em superioridade numérica, o Viana alcançou o seu terceiro golo do encontro. Novo lance de contra-ataque, onde Nélson Pereira contou com a assistência de “Tó” Silva para fazer o 4-3.

Anúncio Publicitário

Finalizado o primeiro tempo, o Porto vencia por 4-3 num jogo onde estava a ser melhor, mas os contra-ataques da equipa de Viana do Castelo permitiam manter a Juventude dentro do jogo.