Anterior1 de 3Próximo

Uma semana depois de ter dado um passo de gigante rumo ao título de campeão nacional, o Porto não deixou créditos em mãos alheiras e voltou a garantir um resultado importantíssimo. Em Itália, na primeira mão dos quartos de final da Liga Europeia, os dragões venceram o Forte dei Marmi por 5-1 e estão a meio patim de garantir a qualificação para a final-four da principal competição de clubes a nível europeu.

O jogo arrancou da melhor maneira para o Porto, pois, disputados trinta segundos, Gonçalo Alves recuperou o esférico a meio campo e isolado perante Gnata picou a bola e fez o 1-0. 

Em cima da marca dos quatro minutos, situação de contra-ataque de três para dois a favor do Porto e Giulio Cocco, após uma simulação, aumentou a vantagem portista para 2-0.

Entrada em falso do vice-campeão transalpino que, desta forma, se via com uma desvantagem dois golos em cerca de cinco minutos. No período entre os dois tentos o Forte tentou chegar à igualdade, mas não era tarefa fácil entrar no quadrado defensivo do Porto e quando o conseguiu Grau resolveu.

Com passar dos minutos o encontro tornou-se mais equilibrado e apesar de algumas oportunidades de golo para cada lado, sendo os dragões sempre os mais perigosos, o marcador não mexeu.

O Forte dei Marmi tinha muita vontade, mas pouco engenho para penetrar na defesa azul e branca. Só mesmo através de algum ressalto ou situação de contra-ataque conseguia assustar, um pouco mais, os jogadores portistas. No entanto, o Porto estava bem mais perto de marcar do que sofrer. Exemplo disso foi uma transição rápida, por volta dos treze minutos, que Rafa definiu mal, picando a bola por cima do travessão da baliza de Gnata. 

Na sequência de um rápido ataque do Forte dei Marmi, Martí Casas acabou por sofrer uma falta para grande penalidade. Federico Ambrosio, jogador que esteve presentes a reforçar o Benfica há alguns anos atrás, não falhou e reduziu a desvantagem transalpina para 2-1. Pouco depois, o Forte esteve quase a chegar ao empate, mas Grau conseguiu parar o desvio de Maremmani a uma stickada de Franco Platero.

O golo italiano veio dar mais intensidade e emoção à partida, mas também pareceu, de alguma forma, ter mexido com o Porto, pois, o Forte dei Marmi, nomeadamente através de Martí Casas e Maremmani, passou a ser a equipa mais perto de concretizar. Porém, quem voltou mesmo a marcar foram os dragões. Nova recuperação de Gonçalo Alves na zona do meio campo e ao ver Cocco muito bem colocado, que momentos antes tinha disposto de uma enorme chance de golo, serviu o italiano que só teve que dar um ligeiro desvio ao esférico para fazer o 3-1. 

Momentos depois do terceiro tento, Maremmani viu um cartão azul ao cometer uma falta sobre Hélder Nunes. O próprio assumiu a conversão do lance e não desperdiçou, assinando o 4-1.

Terminada a primeira parte o Porto vencia o Forte dei Marmi por 4-1. Resultado que espelhava a bela exibição dos dragões, que estiveram sempre no comando das operações, gerindo bem resultado e fechando quase todos os caminhos para a sua baliza. A jogar no seu pavilhão, o conjunto transalpino demonstrava muita vontade, mas apenas nos momentos após o seu golo conseguiu ser mais perigoso e estar ligeiramente por cima.  Nunca tendo, no entanto, conseguido beliscar o controlo e ritmo imposto pelos azuis e brancos.

Gonçalo Alves continua em boa forma, tendo marcado dois golos e assistido para outros tantos
Fonte: Vhf&HockeyForte

O Forte foi a equipa que entrou melhor na segunda metade e logo nos primeiros minutos esteve perto de reduzir a diferença. Todavia, Ambrosio não conseguiu dar o melhor seguimento a um passe aéreo de Burgaya. Pouco depois, Ambrosio voltou a ter uma enorme oportunidade para bisar, mas Grau voltou a dizer não e por duas vezes. Volvidos alguns instantes, foi a vez de Franco Platero esbarrar no internacional espanhol. Os italianos continuavam a ameaçar, mas nem de forma artista, através de uma picadinha, Martí Casas conseguiu marcar. 

Apesar de estarem um pouco mais remetidos à defesa, os dragões nunca foram sufocados, nem deixaram de procurar o ataque. Continuando a gerir o resultado e a ter nos seus stick’s as rédeas do encontro.

Ultrapassada a fase de maior fulgor do Forte, o Porto voltou a ter mais bola e por pouco não chegou ao quinto. Num lance atrás da baliza de Gnata, Rafa serviu Telmo Pinto, mas o jovem portista não conseguiu marcar. Segundos depois, desta feita servido por Gonçalo Alves, Telmo Pinto viu Gnata negar-lhe o golo com uma enorme defesa em movimento. No seguimento do jogo, os comandados de Pierluigi Bresciani estiveram quase a marcar, mas Grau voltou a impedir tento da equipa da casa.

Disputados trinta e seis minutos, Reinaldo Garcia viu um cartão azul após ter cometido uma falta sobre Martí Casas. Davide Montaran, que regressou ás pista depois de uma paragem devido a lesão, não conseguiu concretizar. Grau, com mais duas boas defesas, manteve o resultado.

Em situação de superioridade numérica, o Forte dei Marmi tinha uma boa possibilidade para finalmente marcar, mas acabou por cometer a sua 10ª falta. Cocco, antigo jogador do Lodi, rival do Forte, podia ter chegado ao hacttrick, mas Gnata conseguiu travar as intenções do jovem italiano. Com o livre-direto a não ter qualquer importância no marcador, o Forte foi à procura do golo, mas a fase de powerplay não trouxe qualquer novidade ao resultado.

Sempre com o Porto no controlo, os minutos foram passando sem grandes lances de perigo para cada lado, com ambas as equipas trocarem períodos de posse de bola. 

A seis minutos do fim, os dragões usufruíram de uma grande penalidade em virtude de um jogador italiano ter cortado a bola com o patim dentro da sua área. Gonçalo Alves, com possibilidade de fazer o quinto, aproveitou a oportunidade e com uma stickada rasteira junto ao poste esquerdo apontou o 5-1. Pouco depois, o Forte voltou a ameaçar, mas Montaran desviou a bola por cima da baliza de Grau.

Mesmo a perder por quatro golos de diferença, os italianos nunca atiraram a toalha ao chão e sempre que conseguiam incomodavam Grau, que continuava a manter a sua redes invioláveis nos segundos vinte e cinco minutos. Isto fez com houvesse muito espaço para se jogar, o que permitiu ao Porto ter algumas chances para avolumar a vantagem. Porém, não o conseguiu. 

Já muito perto do fim, Martí Casas sofreu uma falta para grande penalidade. Ambrosio regressou à marca do penalti, mas, por mais uma vez, não conseguiu marcar. Grau defendeu a grande penalidade com as caneleiras e a recarga com a máscara. No seguimento do jogo, foram os dragões a beneficiarem de um novo penalti. Gonçalo Alves voltou a calçar as luvas, mas neste novo duelo Gnata levou a melhor. Momentos depois, Rafa dispôs de uma enorme chance para chegar ao sexto, mas o internacional italiano negou o golo o número nove portista. Volvidos alguns instantes, Rafa cometeu a 10ª falta azul e branca. Martí Casas foi o escolhido para marcação do livre-direto, mas Grau voltou a brilhar e negou o golo ao jovem espanhol. 

Finalizado o encontro o Porto venceu o Forte dei Marmi por 5-1, assegurando uma vantagem praticamente decisiva no apuramento para a final-four. Numa partida onde foi quase sempre melhor, os dragões foram eficazes, visto que concretizaram quase todas as suas oportunidades mais perigosas, tendo ainda contado com uma belíssima exibição de Carles Grau. O conjunto transalpino nunca desistiu e ainda conseguiu construir várias chances de golo, mas nada pode fazer perante a enorme inspiração do guardião azul e branco.

Nas outras partidas dos quartos de final o Benfica foi até Oliveira de Azeméis vencer a Oliveirense por 3-2, em terras transalpinas o Sporting derrotou o Amatori Lodi por 5-3 e o Barcelona foi até ao pavilhão do Noia vencer por 4-3.

A segunda mão dos quartos de final da Liga Europeia está marcada para o dia 6 de abril.

Forte dei Marmi: 22-Ricardo Gnata (GR e CAP.), 7-Jordi Burgaya, 18-Martí Casas, 26-Elia Cinquini e 57-Franco Platero; Jogaram ainda: 2-Davide Montaran, 5-Federico Ambrosio, 77-Giacomo Maremmani

FC Porto: 1-Carles Grau (GR), 9-Rafa, 57-Reinaldo Garcia, 77-Gonçalo Alves e 78-Hélder Nunes (CAP.); Jogaram ainda: 5-Telmo Pinto, 7-Giulio Cocco e 18-Poka

Anterior1 de 3Próximo

Comentários