Anúncio Publicitário

cab hoquei

Não é o grito do Ronaldo mas sim de uma equipa que luta arduamente pelos seus objectivos. No último texto, tinha dito que, após a derrota pesada frente à Oliveirense, o Valongo teria de mostrar que dias maus todos temos e que cabia aos homens de verde provarem que o primeiro lugar não era fruto do acaso.

Em Valongo, ADV e Benfica disputavam mais uma importante partida nas contas para o título. Os homens da casa vinham da sua primeira derrota no campeonato, mas, ainda líderes, tinham mais um teste às suas capacidades. Os encarnados vinham de uma goleada imposta ao Porto e, em frente a um adversário directo, não queriam voltar a atrasar-se na luta pelo título. A juntar a isto, havia o facto de o Porto ter vencido o Candelária, por 4-1, e colocar pressão em ambas as equipas.

Anúncio Publicitário

Entrou melhor o Valongo, mas seria o Benfica a marcar primeiro, por Diogo Rafael. A partir daqui, os encarnados começaram a tomar conta do jogo, face a algum nervosismo do Valongo, e chegaram a aumentar para 2-0. Só não alargaram ainda mais a vantagem porque André Girão mostrou o porquê de ser dos melhores guarda-redes do campeonato.

Até onde pode ir o Valongo? Fonte: advalongo.pt
Até onde pode ir o Valongo?
Fonte: advalongo.pt

Na segunda parte, tudo mudou e a emoção tomou conta do jogo. Um Valongo completamente mudado acordou e decidiu mostrar que, em casa, eles é que mandam e, num instante, conseguiu dar a volta ao marcador e ficar a vencer por 3-2. Pavilhão ao rubro, Valongo na frente, mas veio um balde de água fria, quando o Benfica empatou a três bolas. O jogo estava ao rubro, ambas as equipas procuravam a vitória, mas o melhor ficou para o fim. A segundos do final da partida, João Souto marcou e deu a vitória aos homens da casa. O pavilhão foi abaixo, os jogadores festejaram euforicamente, o Valongo vence. Venceu de forma emotiva, venceu porque acreditou sempre. A vitória poderia cair para os dois lados, pois ambas as equipas lutaram para tal, mas o Benfica foi penalizado por se ter desleixado, na segunda parte, e o Valongo premiado por nunca ter desistido. De destacar que, neste grande espectáculo que foi o jogo, houve um erro que o estragou. O lance do golo decisivo apareceu no seguimento de uma falta a favor do Benfica, que deveria ter sido marcada e que daria livre directo aos encarnados. Foi uma situação que mancha a partida.

Este foi um grito de afirmação do Valongo. Nunca desistindo, dando sempre a cara à luta, o Valongo venceu este teste, quando se questionava se teriam estes homens estofo para jogos assim. Este está passado, vem aí o próximo, frente ao campeão nacional, o F. C. Porto.

Anúncio Publicitário