Anúncio Publicitário

Cabeçalho modalidadesO XI Campeonato Europeu de Padel disputou-se em solo português, no novo complexo de campos de Padel do Clube de Ténis Estoril. A Federeção Portuguesa de Padel voltou a candidatar-se a receber esta importante competição, que já em 2009 havia tido como palco o Estoril, tendo a seleção masculina alcançado o terceiro lugar do pódio.

A Federação Internacional de Padel premiou Portugal com mais um torneio conceituado, reconhecendo o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido no Padel português e o valor dos atletas portugueses.

A seleção portuguesa partiu para o evento com objectivos ambiciosos: a seleção feminina era detentora do título em disputa e ambicionava renová-lo, enquanto a seleção masculina tinha já mostrado qualidade suficiente para ambicionar o título europeu, assumindo, no entanto, o favoritismo da seleção espanhola.

Anúncio Publicitário

A XI edição do torneio contou com a participação de 15 seleções masculinas e 12 femininas, na competição por Nações, sendo que decorreu, em simultâneo, a prova por duplas.

A seleção portuguesa de Padel trouxe para casa resultados satisfatórios Fonte: Vasco Pascoal
A seleção portuguesa de Padel trouxe para casa resultados satisfatórios
Fonte: Vasco Pascoal

Na prova por duplas, Ana Catarina Nogueira/Filipa Mendonça, que vestiam as cores de Portugal, derrotaram, numa meia final 100% portuguesa, Kátia Rodrigues/Sofia Araújo, garantindo, assim, um lugar na final, frente às espanholas Martita Ortega/Ariana Sánchez. Na final, que se antevia difícil, a dupla portuguesa cedeu, por 1-6/2-6, perante a dupla espanhola.

Na disputa inter-equipas, Ana Catarina Nogueira/Filipa Mendonça e Sofia Araújo/Kátia Rodrigues seguiam para a final com a dura missão de derrotar a dupla espanhola que tinha vencido, na vertente de duplas, as portuguesas. As atletas espanholas voltaram a levar a melhor, derrotando a seleção portuguesa por 2-0.

Assim, Ana Catarina Nogueira/Filipa Mendonça conseguiram a condição dupla de vice-campeãs europeias, num resultado que, a meu ver, apesar de saber a pouco, é satisfatório para alcançarmos a competitividade que ambicionamos e o reconhecimento internacional que merecemos.

A união foi notória e os merecidos festejos foram uma constante entre a seleção portuguesa Fonte: Vasco Pascoal
A união foi notória e os merecidos festejos foram uma constante entre a seleção portuguesa
Fonte: Vasco Pascoal

Na vertente masculina, no torneio entre equipas, o favoritismo de Paquito Navarro e Juan Martín Díaz passou da teoria à prática e, em campo, não deram hipóteses, vencendo Vasco Pascoal/João Bastos por 6-1/6-4. Álvaro Cepero e Aday Santana, dupla que venceu também a final de duplas, confirmaram o triunfo espanhol, depois de derrotarem Diogo Rocha/Miguel Oliveira por 6-2/6-4.

Assim, a seleção masculina terminou o Campeonato Europeu de Padel com o melhor resultado da história, sagrando-se, à semelhança da feminina, vice-campeã da Europa.

Estes resultados são, sem dúvida, benéficos para a construção da imagem que tem vindo a ser ambicionada pelo Padel português.

Foto de Capa: Federação Portuguesa de Padel

Anúncio Publicitário