O Super Rugby Aotearoa está praticamente decidido. Com a vitória dos Crusaders sobre os Chiefs, a franquia de Christchurch apenas precisa de vencer um dos dois jogos que restam para se sagrar campeã.

À entrada para o jogo, perspetivava-se uma partida equilibrada e, eventualmente, uma vitória surpreendente dos Chiefs, visto que têm sido estes a causar mais dificuldades aos Crusaders nos últimos anos. A verdade é que tal não se verificou, sendo que o conjunto de Scott Robertson dominou por completo os visitados.

Para tal, foi fundamental a ação do pack avançado, ao arrasar os Chiefs no capítulo da formação ordenada. Aliado ao domínio nesta fase estática, esteve, mais uma vez, a capacidade de Richie Mo’unga na decisão e no ataque à linha da vantagem. Além do mais, foram várias as vezes em que Will Jordan apareceu nos canais mais próximos do ruck, alargando, deste modo, o leque de opções da linha de três quartos.

Anúncio Publicitário

Do outro lado, os Chiefs apostaram muito no jogo ao pé, que acabou por se revelar infrutífero, na medida em que apenas originou contra-ataques dos Crusaders, em vez de ganho tático ou territorial. Ainda para mais, a linha de três quartos não se mostrou letal em momentos chave do jogo, tal como aconteceu no crosskick completamente disparatado de Damian McKenzie à entrada dos 22 metros adversários. Em termos defensivos, os homens de Warren Gatland também mostraram algumas dificuldades em conter a velocidade na circulação de bola, como aconteceu no ensaio de Tom Sanders.

À semelhança do sucedido na jornada passada, os Chiefs viram o resultado influenciado pelas decisões do árbitro. Aos 60’ e com um ponto a separar as duas equipas, Ben O’Keeffe não viu qualquer razão para anular o ensaio a Sevu Reece, quando este foi precedido de um claro knock on de Quinten Strange.

A ação de Lachlan Boshier no breakdown não foi suficiente para impedir a oitava derrota consecutiva dos Chiefs. Já os Crusaders têm a possibilidade de se sagrar campeões no derby da ilha sul do próximo domingo.