Anterior1 de 2Próximo

Depois de no sábado não ter havido competição, o terceiro dia do Pro Portugal arrancou este domingo e não podíamos ter começado da melhor maneira, considerando a prestação das mulheres nos heats iniciais. Uma manhã pouco surpreendente, com a passagem das atletas favoritas para os quartos de final da competição. Na parte da tarde, as mulheres cederam as ondas de Peniche aos homens para o Round of 16 masculino, que ficou marcado pela eliminação do atual líder do circuito mundial, Gabriel Medina, com muita polémica à mistura.

UMA MANHÃ SEM SURPRESAS NOS HEATS FEMININOS

A manhã iniciou-se com o duelo entre Caroline Marks e Bronte Macaulay. A australiana Bronte Macaulay até começou bem melhor e esteve na liderança do heat, mas na sexta onda a norte americana arrumou a questão da passagem à próxima fase. Caroline Marks venceu com um combinado de 12.67 (5.00 e 7.67) a australiana Bronte Macaulay, que acabou com 9.83 (6.00 e 3.83).

No Heat 2, defrontaram-se as australianas Stephanie Gilmore e Macy Callaghan. Os 30 minutos de bateria foram bastante equilibrados, porém, Stephanie Gilmore quem acabou por vencer o heat. A número seis do ranking mundial não vacilou e conseguiu um combinado de 13.07 (6.07 e 7.00) contra o combinado de 12.13 (6.23 e 5.90) da 13.º classificada.

Anúncio Publicitário

No heat seguinte, houve novo duelo australiano nas águas penicheiras, todavia, este não foi tão equilibrado como o anterior. Sally Fitzgibbons, a número três do ranking, ainda esteve a perder, mas as duas ondas de 6.10 e 6.57 (12.67 no total) foram suficientes para passar com distinção o seu heat. A australiana venceu a sua compatriota Keely Andrew, que não foi além de um 9.50 (4.83 e 4.67).

No heat 4, a brasileira Tatiana Weston-Webb não deu grandes hipóteses à havaiana Coco Ho. Tatiana Weston-Webb conseguiu um total de 14.67 com duas ondas de 6.50 e 8.17 e a havaiana, que esteve a vencer até à quinta onda, acabou por perder após a realização da sexta que a brasileira realizou. Coco Ho fez um combinado de 10.60 (5.67 e 4.93) e ficou pela Round of 16. A brasileira conseguiu assim alcançar uma vaga para os Jogos Olímpicos de 2020, que se vão realizar em Tóquio!

Carissa Moore, no heat 5, mostrou o porquê de ser a melhor posicionada no ranking e voltou a passar para os quartos de final, mostrando querer revalidar o título conquistado o ano passado. A havaiana conseguiu um total de 13.20 com as suas duas melhores ondas que tiveram uma classificação de 6.33 e 6.87 e acabou por vencer Paige Hareb, que fez um total de 11.00 (4.93 e 6.07).

No sexto heat feminino do dia, a francesa Johanne Defay defrontou a costa-riquenha Brisa Hennessy. Este duelo começou com scores baixos, mas, à medida que as atletas começaram a aquecer as pontuações aumentaram. Contudo, quem levou a melhor neste frente a frente foi a surfista francesa, que fez um total de 10.66 (3.83 e 6.83), enquanto que Brisa Hennessy fez 9.54 (4.57 e 4.97).

No penúltimo heat do dia para as atletas femininas, foi a vez de Lakey Peterson defrontar a brasileira Silvana Lima. A surfista norte-americana entrou forte no heat com pontuações a cima dos quatro, deixando a brasileira com pouca margem de manobra. A número dois do ranking mundial fez um total de 13.43 (6.10 e 7.33) e venceu Silvana Lima, que fez apenas 8.54 (3.17 e 5.37).

No Heat 8, e último do dia para o feminino, tivemos um resultado inesperado visto que nas outras baterias tinham passado “as favoritas”. Embora, a australiana Nikki Van Dijk, número 11 do ranking mundial, tenha estado a perder durante maior parte do tempo para a quinta classificada do ranking, Courtney Conlogue, com um final de bateria forte acabou por conseguir uma nota de 6.40 e eliminar uma das candidatas ao título. A vitória foi por “uma unha negra”, pois a norte-americana fez 12.34 (4.67 e 7.67) e a australiana 12.40 (6.00 e 6.40).

Anterior1 de 2Próximo

Comentários