cab Surf

Hoje vou falar de um acontecimento no mínimo estranho. Como sabem, na semana passada realizou-se o primeiro evento do circuito mundial na Austrália, o Quiksilver Pro Gold Coast, que foi ganho pelo jovem brasileiro Gabirel Medina. Nessa mesma prova aconteceu uma situação caricata, mas já lá vamos. Como em tudo na vida, existem regras para que haja justiça e se alcancem melhores resultados. Pois bem, o surf não é excepção. Entre inúmeras regras, há uma que começa a causar alguma polémica. Para ser mais explícito, essa regra consiste em que um surfista tenha prioridade em relação ao outro, sendo que essa prioridade está sempre a mudar conforme os surfistas vão apanhando ondas. Ou seja, o surfista que está à espera há mais tempo no pico é quem tem prioridade.

Por exemplo, estão dois surfistas dentro de água: se o surfista A apanhar uma onda, o surfista B passa a ter prioridade até apanhar uma onda, pois é o que está à espera há mais tempo. Quando o surfista B apanhar uma onda, a prioridade passa para o surfista A, pois agora é este que está à espera há mais tempo. Ainda assim, o surfista sem prioridade pode apanhar ondas à vontade, desde que não apanhe a onda que o surfista com prioridade está a apanhar. Complementando esta regra há surfistas que quando têm prioridade têm o bom senso de deixar o surfista que está mais perto do pico apanhar a onda. Mas bem, esta regra serve para o free surf em qualquer lugar do mundo como também para a competição, sendo que em competição se esta regra for quebrada há uma punição para o surfista que a quebrou. E foi aqui que aconteceu o improvável.

Anúncio Publicitário
Jeremy Flores na primeira manobra antes do impacto com Adriano de Sousa Fonte: Grindtv.com/
Jeremy Flores na primeira manobra antes do impacto com Adriano de Sousa
Fonte: Grindtv.com

No heat 8 do round 3 disputado entre Jeremy Flores e Adriano “Mineirinho” de Sousa, Jeremy “roubou” uma onda ao surfista brasileiro, ou seja: Adriano de Sousa era quem tinha prioridade, mas quem foi na onda foi o surfista francês. Mas o que é facto é que Jeremy Flores estava mais no outside e mais perto do pico, enquanto Adriano se encontrava no inside, mais longe do pico. E ainda acrescentando a isto, Jeremy Flores ainda teve tempo de fazer uma manobra e, quando se ia preparar para a segunda, o surfista brasilerio chocou contra ele, ao tentar entrar na mesma onda. Pondo todas as cartas na mesa: primeiro, Adriano de Sousa tinha prioridade; segundo, quem estava mais do outside era Jeremy Flores; e terceiro, Adriano tentou apanhar a onda que o surfista francês já tinha apanhado no pico e estava a surfar. Portanto podemos constatar aqui três factos. Se o surfista brasileiro tivesse um pouco de bom senso, não teria apanhado a onda do francês, apesar da prioridade.

Momento do choque entre os dois surfistas. Fonte: Oglobo.globo.com/
Momento do choque entre os dois surfistas.
Fonte: Oglobo.globo.com

Mas a realidade é que isto é um jogo e cada um usa os seus trunfos e vantagens para poder ganhar. Conclusão da história: o surfista francês foi punido, perdendo assim uma das suas duas melhores notas e acabando o heat com um score de 5.33 pontos em 20 possíveis. Adriano de Sousa venceu com um score total de 14 pontos. No fim, Jeremy Flores frisou ainda numa entrevista que Mineirinho teve uma atitude ridícula e de anti desportivismo por ter apanhado a onda em que ele já estava.