Em mais um torneio da série ATP 500, disputado no Dubai, tivemos a representação lusa a cargo do nosso melhor tenista de todos os tempos, o vimaranense João Sousa, que no sorteio do quadro principal apanhou um tenista francês que se tem destacado na variante de pares, ocupando uma posição de muito relevo no ranking dessa variante (número 13 de momento, mas já foi número dois em Julho de 2016).

Nos singulares, era um jogador relativamente acessível, o atual número 99 ATP (Pierre-Hughes Herbert). O jogo era complicado mas parecia ao alcance do português, e de facto o resultado espelha isso mesmo, 6-4 4-6 e 6-7(8). Logo após ganhar o primeiro set, o João parecia ter o encontro sob controlo, ao fazer o break inaugural, para liderar por 1-0. Só que no ténis o jogo nunca está ganho até se concretizar o match point e o jogador gaulês igualou a contenda, com um 6-4.

No set final, o jogador natural de Guimarães teve várias oportunidades para poder fazer o break e adiantar-se no jogo, só que essas ocasiões não foram concretizadas e chegámos ao tie-break decisivo, quase uma lotaria. Qualquer um deles podia ganhar e coube ao jogador francês garantir a vitória final e selar um encontro com o espanhol Roberto Bautista-Agut na segunda ronda, após um jogo de nervos, que terminou com um 10-8 favorável a Herbert.

Apesar das expetativas altas após a realização do sorteio, o certo é que João Sousa ficou mais uma vez pela primeira ronda, descendo assim um pouco mais no ranking ATP, para um lugar fora do top 80. Os resultados não estão a aparecer, mas não convém esquecer que o João tem uma carreira brilhante, levando o ténis português para patamares nunca antes atingidos.

Anúncio Publicitário

Há poucos anos atrás era completamente impensável termos um tenista a ganhar torneios ATP(2), a chegar constantemente a finais da série 250 (10) e a acumular um currículo invejável nos torneios mais importantes (assim de repente, lembro-me da terceira ronda no Australian Open, US open e Wimbledon, quartos-de-final no Masters 1000 de Madrid), mas brevemente publicarei um artigo a falar pormenorizadamente dos feitos do João.

João Domingues foi o destaque da semana, ao chegar aos oitavos-de-final em São Paulo
Fonte: ATP

No torneio árabe, o tenista do país vizinho Roberto Bautista-Agut levou o troféu para casa, após bater na final o francês Lucas Pouille por 6-3 6-4, para conquistar o seu segundo troféu do ano (Auckland, na Nova Zelândia, foi o outro desta temporada) e o primeiro título da série 500 da sua carreira. Nos outros torneios ATP com representação nacional, destaque para João Domingues, que passou a fase de qualificação e só foi travado na segunda ronda, pendendo com o italiano Fábio Fognini, por 7-5 6-1.

Gastão Elias foi afastado à primeira perante o argentino Leonardo Mayer, num jogo muito equilibrado com cerca de três horas de duração, somente decidido após parciais de 7-5 6-7(10) e 6-7(5).

Foto de Capa: ATP

Comentários