A Rússia sempre teve bons tenistas a representar o país: Yevegny Kafelnikov, Marat Safin, Nikolay Davydenko, entre outros. Apesar das dificuldades sentidas após a reforma de Davydenko, a Rússia recuperou com três grandes tenistas: Daniil Medvedev, Andrey Rublev e Karen Khachanov.

Antes de falar dos três jogadores, quero realçar que o alemão Alexander Zverev, atual número sete do ranking ATP, é filho de pais com nacionalidade russa e podia, assim, ter escolhido a Rússia, e seria mais um tenista do grande elenco russo.

Daniil Medvedev é o maior nome atual desta lista, sem dúvida. Apesar de não ter sido um ano civil (2020) fácil – apenas alcançou o primeiro título no penúltimo torneio que participou -, Medvedev acabou o ano em grande ao conquistar o ATP Paris e o ATP Finals! No último torneio, Medvedev derrotou os três jogadores com maior ranking numa só semana! Daniil derrotou Djokovic, Nadal e Thiem, número um, dois e três, respetivamente. O tenista tem imensas dificuldades num court: terra batida. Foi sempre eliminado na primeira ronda no maior torneio deste court – Roland Garros. Dos jogadores atuais da Rússia, Medvedev é aquele que tem melhor registo contra o atual número um, Djokovic – três vitórias em sete jogos.

Anúncio Publicitário

Se me perguntarem qual dos três está mais perto de ganhar um Grand Slam, direi que é o Medvedev. Ele já jogou uma final e perdeu-a: US Open 2019, contra Rafael Nadal. Atualmente é aquele que está mais capacitado. Ele tem um estilo de jogo muito inteligente, joga a pensar naquilo que é melhor em cada momento do jogo. Medvedev é muito imprevisível. Ah, só não aposto que ganha o Roland Garros. É muito arriscado com o histórico do russo no torneio.

Dos três nomes presentes na lista, Andrey Rublev foi o jogador que mais cresceu em 2020. Rublev conquistou cinco títulos! Foi o jogador da ATP com mais campeonatos conquistados no ano civil. O ano brilhante valeu a ida ao ATP Finals e o oitavo lugar no ranking ATP. Apesar de ter ganho apenas um jogo e ter sido eliminado na fase de grupos, Rublev superou as expetativas iniciais que os fãs do desporto tinham inicialmente para a época do russo. O mais jovem dos três jogadores jogou apenas uma vez contra Roger Federer e ganhou esse jogo – ATP Cincinnati 2019, 16-avos de final. Que ótimo registo do russo.

Com 23 anos, Rublev é o mais novo dos três – Medvedev e Khachanov têm 24 anos. Na próxima época, se mantiver o nível de 2020, não duvido que vai continuar no top dez do ranking ATP.

Hoje em dia, dos três russos, Karen Khachanov é o jogador com menor destaque. Outrora o número oito no decorrer de 2019, atualmente ocupa o lugar 20 do ranking. Não foi um ano nada fácil para o terceiro melhor russo da atualidade. Khachanov tem qualidade, já provou isso. Porém, há algo que falta ao russo. Não conquista um torneio desde o ATP Paris 2018. Contra o big three, Khachanov apenas ganhou uma vez e foi na final da última vez que ganhou um título, contra Djokovic.

O lugar que ocupa não é nada mau, de todo! Porém, atualmente, está num nível abaixo de Rublev e Medvedev. Dos três jogadores, é o que tem mais a provar em 2021. Sinceramente, acredito que Karen vai voltar aos tempos antigos e vai subir no ranking.

Nos jogos entre os russos Medvedev é o que tem melhor registo. O número quatro ganhou os três jogos a Rublev e dois dos três a Khachanov. Nos jogos entre o número oito e 20 do ranking, Khachanov ganhou dois dos três jogos. Apesar de ter sido o melhor ano para Rublev, ainda tem uma estatística para melhorar!

Com tantos bons talentos, será que a Rússia vai ser a maior potência do ténis?

Foto de Capa: Davis Cup Finals

Artigo revisto por Diogo Teixeira

Artigo anteriorAndraz Sporar | Mau momento? Uma questão de confiança
Próximo artigoAssinas tanto, Oliveira!
O Filipe saiu da Ilha de São Miguel, nos Açores, para tirar a Licenciatura de Jornalismo na Escola Superior de Comunicação Social. Desde criança que é adepto de Futebol, tendo já sido árbitro. Para além do "desporto-rei", o Filipe também é apaixonado por Basquetebol e não falha no acompanhamento de Wrestling.                                                                                                                                                 O Filipe escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome