cartaaberta

Caro Garay,

Já te conhecia do Real Madrid e admirava-te. A tua chegada ao Benfica foi para mim uma felicidade e só podia esperar o melhor. Confirmaste-o. Ao lado de Luisão formaste um muro. Arriscava mesmo dizer: uma parede. Marcaste golos e afirmaste-te como um dos melhores centrais a actuar em Portugal e um dos grandes da Europa. Após este fantástico “triplete”, após esta época fantástica, as portas das grandes ligas abriram-se para ti. Mostraste garra e amor ao clube. Mostraste potencial para poder actuar, não entre os grandes, mas sim entre os enormes deste mundo que vive vergado ao deporto-rei.

A época terminou. A próxima época começa a ser traçada. O glorioso abre-te as portas para ficares, e os gigantes abrem-te as portas de saída da Luz. E tu? Dizes que queres o Zenit. Falou-se em Manchester, Barcelona e até num regresso a Madrid. E tu sabes que eras capaz de te impor entre os grandes. De construir uma nova parede com o Sérgio Ramos ou com Piqué. E tu escolhes ir para o Zenit. O teu agente afirma que escolheste o Zenit. Porquê? Porquê passar ao lado dos grandes palcos? Das grandes ligas? Dos grandes jogadores? Porquê perder a oportunidade de aprender com os melhores e ganhar ainda mais? Porquê perder a oportunidade de ganhar o que ganhaste e o que podias ter ganho no Benfica? Pelo dinheiro? És novo. Tens tempo de aos 34 ires dar uns toques para a MLS ou para os Emirados Árabes Unidos. Mas agora, aos 27 anos? No pico de forma? Já com experiência acumulada, venderes-te? Passares ao lado de uma carreira ainda com tanto para dar… Porquê? Witsel e Hulk não te serviram de exemplo?

Garay, fica!  Fonte: vivaobenfica.wordpress.com
Garay, fica!
Fonte: vivaobenfica.wordpress.com

Não me venhas com conversas de quereres abraçar este novo projecto. Porque duvido que esse projecto vá a lado algum. Tu mereces mais. Fica ou parte. Mas fá-lo em consciência. Escolhe uma liga ao teu nível. O campeonato russo é tão pouco para ti. Enche-te os bolsos, é certo. Mas sempre te vi como alguém que joga por amor ao jogo. Com raça, amor e ambição. Um jogador à Benfica. Um jogador com espírito e alma.

Garay, não vendas os teus dotes. Não vendas a tua carreira. Tu podes mais. Basta quereres. Primeiro ama o que fazes. O dinheiro logo vem.

Desejo-te o melhor futuro do mundo. Vais ser grande. Maior do que já és. Marcaste o Benfica e os benfiquistas. Nunca te esqueceremos, apenas pedimos que jogues por amor e não por dinheiro. O futebol precisa da tua raça.

Os melhores cumprimentos,

 

Tomás Gomes

Comentários

Artigo anteriorFalta de coerência
Próximo artigoA segunda das alemãs
O Tomás é sócio do Benfica desde os dois meses. Amante do desporto rei, o seu passatempo favorito é passar os domingos a beber imperial e a comer tremoços com o rabo enterrado no sofá enquanto vê Premier League.                                                                                                                                                 O Tomás escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.