A CRÓNICA: DUAS PARTES QUE PARECIAM DOIS JOGOS DIFERENTES

Após a pausa para seleções, o Estádio de S. Miguel abriu portas para a quinta jornada da Primeira Liga. Ambas equipas vinham motivadas por vitórias. O CD Santa Clara frente ao Gil Vicente FC, e o SL Benfica frente ao CD Tondela. Esperava-se, então, um jogo difícil e emocionante.

A partida começou equilibrada. O CD Santa Clara aproveitaria a maior facilidade em criar linhas de passe e a dificultar a vida ao SL Benfica. Este tentaria, ainda, ter mais velocidade no jogo, através das alas e até a ser mais agressivos, mas os atentos bravos não permitiam os avanços do clube de Lisboa.

A primeira oportunidade de golo clara viria aos 24 minutos, através de Cryzan que, perto do segundo poste, tenta rematar, mas a presença de muita gente na área acabaria por lhe prejudicar o ângulo de visão. Nesta primeira parte, era clara a superioridade do CD Santa Clara, no entanto, um erro defensivo viria a prejudicar a equipa da casa. Bastou um passe de João Mário para Rodrigo Pinho, que consegue ganhar a frente do lançamento a Boateng, que ainda tenta ir atrás do prejuízo, com velocidade, e remata para as redes de Marco Pereira, inaugurando, assim, o marcador. Apesar do golo, estava tudo em aberto para a segunda parte, que prometia ser empolgante.

A equipa da Luz como que acordou de um sono e apareceu renovada para a segunda parte. Ainda nem tempo havia para aquecer e Darwin já estava de pé quente, consegue a frente do lance e, com a maior das facilidades, faz o segundo golo. Pouco tempo depois, o recém-entrado Rafa recebe a bola, vira-se em direção à baliza e deixa Marco Pereira incrédulo com a bola do terceiro golo da partida a entrar pelas redes.

Anúncio Publicitário

O atento adepto que estava na primeira parte do jogo com certeza teve dificuldade em entender que era a mesma partida que estava a assistir. Darwin fez questão de mostrar isso ao conseguir livrar-se da defesa da equipa açoriana e marcar o quarto golo da partida. Se pensávamos que ia parar por aí estávamos muito enganados. Grimaldo recebe já perto da baliza, passa para Yaremchuk e este só tem de encostar e, assim, fazer o quinto golo da partida.

A turma de Daniel Ramos ainda tentou reagir, mas sem grande efeito. O apito final chegou e a vitória do SL Benfica era certa. Apesar da primeira parte bem conseguida, não foi suficiente para os açorianos conquistarem os três pontos. Resta, então, tentar fazer melhor na próxima jornada e continuar com a mesma qualidade que a segunda parte, no caso do SL Benfica.

A FIGURA

Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

Darwin – O avançado, de 22 anos, marcou dois dos cinco golos do SL Benfica. Foi, sem dúvida, uma figura importante e que fez toda a diferença na hora de finalizar. Darwin, hoje, estava de “pé quente” e olhos postos no alvo certo.

O FORA DE JOGO

Fonte: Diogo Cardoso / Bola na Rede

Marco Pereira – O guardião açoriano ficou muito aquém das expectativas. Estamos habituados a ver um jogador seguro e decisivo em muitos momentos, mas, nesta partida, esteve abaixo do habitual.

 

ANÁLISE TÁTICA – CD SANTA CLARA

A turma de Daniel Ramos alinhou em 3-5-2. Com uma linha defensiva a três, com Paulo Henrique a jogar mais descaído pela ala. Rafa e Mansur a jogar na ala, baixando no terreno no momento defensivo. Morita, Anderson e Lincoln jogaram mais no miolo, servindo Rui Costa e Crysan.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Marco Pereira (2)

Rafael Ramos (3)

Boateng (2)

João Afonso (3)

Mansur (4)

Anderson Carvalho (4)

Lincoln (4)

Paulo Henrique (3)

Crysan (4)

Morita (4)

Rui Costa (3)

SUBS UTILIZADOS

Mohebi  (3)

Luis Phellype (2)

Néné (3)

Jean Patric (-)

Julio Romão (-)

 

ANÁLISE TÁTICA – SL BENFICA

A turma de Jorge Jesus alinhou em 3-4-3. Linha defensiva a três, tal como habitual. Weigl e João Mário como duplo pivot defensivo. Grimaldo deu largura na esquerda, Diogo Gonçalves pela direita. Na frente, três homens mais soltos. Everton e Darwin mais móveis e Pinho como referência ofensiva.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Odysseas (3)

Grimaldo (3)

Lucas Veríssimo (4)

Vertonghen (3)

Everton (3)

Darwin (6)

Diogo Gonçalves (4)

Rodrigo Pinho (5)

João Mário (4)

Weigl (4)

Morato (4)

SUBS UTILIZADOS

Rafa  (5)

Gedson (4)

Yaremchuk (5)

Pizzi (3)

Lazaro (4)

 

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

 

CD Santa Clara

BnR: Não era de todo o resultado que esperava. O golo perto do intervalo foi determinante para este desfecho?

Daniel Ramos: Tivemos uma primeira parte muito bem conseguida da nossa parte. Anulamos o SL Benfica por várias vezes. Tivemos remates mais perigosos, oportunidades na frente e a desvantagem ao intervalo é enganadora. Só fomos CD Santa Clara na primeira parte, o SL Benfica, com mérito, conseguiu encontrar espaços e conseguiu ser eficaz. Faltou-nos reagir, ser melhores, mais fortes. Tenho a certeza que precisamos de ser competentes todo o jogo. Se não fôssemos uma equipa que se deixou abater, as coisas seriam diferentes.

SL Benfica 

BnR: Temos dois SL Benfica distintos, na primeira e na segunda partes. Qual o seu objetivo ao retirar Rodrigo Pinho e substituí-lo por Rafa?

Jorge Jesus: As equipas são diferentes e nem sempre a equipa está a ser superior mantém-se. Mas sim, estivemos melhores na segunda parte e daí fazermos a diferença e termos conquistado a vitória.

Artigo revisto por Gonçalo Tristão Santos

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome