O sorteio da terceira eliminatória da Taça de Portugal ditou a deslocação do SL Benfica ao terreno do Clube Desportivo da Cova da Piedade. A curta deslocação ao concelho de Almada terá lugar a 19 ou a 20 de outubro, sendo o primeiro encontro dos encarnados após a pausa para os compromissos de seleções e o primeiro passo em direção ao Jamor.

Militante da Segunda Liga, a turma de Setúbal ocupa, ao cabo de seis jornadas, a 14ª posição na tabela classificativa. Soma duas vitórias, quatro derrotas, sete golos marcados e dez sofridos. Defronta o campeão nacional na condição de visitado, precisamente a condição na qual amealhou os seis pontos alcançados no campeonato.

Na eliminatória já disputada para a prova-rainha, o grupo de Jorge Casquilha venceu, em Sines, o Vasco da Gama AC, por contundentes quatro golos sem resposta algarvia. Além do resultado, destaque para a “folha limpa” do CD Cova da Piedade: foi o terceiro jogo – em oito realizados – sem conceder golos. Havia sucedido em Matosinhos, numa partida a contar para a Taça da Liga (0-0, com vitória do Leixões SC nas grandes penalidades), e em Almada na receção a Benfica B (vitória por 2-0).

O clube dirigido por Paulo Veiga, cuja SAD está nas mãos do investidor chinês Kuong Chun Long, tem na sua equipa principal um conjunto jovem (média de idades de 26,14 anos), na qual apenas Edinho (37), Robson (31), Sami (30) e André Carvalhas (30) são “trintões”. Além de jovem, o plantel à disposição de Casquilha é também bastante diversificado, com dez nacionalidades representadas – os nove brasileiros do plantel fazem do país sul-americano o mais representado. Assim, apesar da juventude, trata-se de um grupo, se não com experiência, com experiências bem distintas – além de Brasil e Portugal, também a China tem três representantes, bem como jogadores de sete países africanos.

A equipa do SL Benfica vai procurar, frente ao CD Cova da Piedade, começar um novo ciclo e a caminhada até ao Estádio Nacional
Fonte: SL Benfica

Como transparece em alguns dados estatísticos, a defesa é o ponto fraco da turma de Almada. É no setor defensivo que o CD Cova da Piedade apresenta mais juventude e nomes menos consagrados e conhecidos pelo público nacional. 28 anos é a idade do mais velho jogador da linha recuada dos setubalenses, o ugandês Alex Kakuba. Do meio-campo em diante já proliferam futebolistas mais experientes: Sérgio Marakis, ex-CD Nacional, Sami, ex-Marítimo, Femi Balogun, nigeriano que passou pela Académica OAF e pelo CD Aves, e Edinho, internacional português por seis ocasiões, com um total de dois golos.

Antes de receber o SL Benfica, a equipa de Almada recebe, no fim-de-semana precedente, o SC Farense, para a Segunda Liga. Já o campeão nacional e segundo classificado da Primeira Liga não joga até lá, mas defronta imediatamente a seguir – a 23 de outubro – o Lyon, no Estádio da Luz, num jogo fulcral para a sobrevivência encarnada na Liga dos Campeões. São, assim, esperadas mudanças nas águias, que, a julgar pelas mais recentes exibições, podem ser suficientes para que o CD Cova da Piedade se superiorize e leve de vencida o SL Benfica. Todavia, claro, o favoritismo teórico está do lado norte do Tejo.

Será já na nova legislatura que vamos descobrir se a má fase benfiquista não passa disso mesmo – uma fase – ou se o SL Benfica está, no que a esta época diz respeito, a caminhar para a Cova.

Foto de capa: SL Benfica

Artigo revisto por Inês Vieira Brandão.

Comentários