O mundo do futebol está em choque com a perda de José Antonio Reyes, que faleceu na manhã deste sábado, num acidente de viação à saída da cidade de Utrera, Espanha, onde nasceu. Tinha 35 anos e jogava no Extremadura UD, na segunda divisão espanhola.

Segundo o que foi possível apurar junto da imprensa local, o sucedido teve lugar às 11:40 horas (10:40 em Lisboa), numa autoestrada entre Sevilha e a cidade natal. O excesso de velocidade é a causa referida para a tragédia. O carro em que viajavam, um Mercedes com uma cilindrada de 380 cavalos, sofreu um despiste que atirou o jogador, o primo, Jonathan Reyes e um amigo para fora da estrada, tendo-se incendiado de seguida. Os dois primeiros morreram no local, o terceiro algumas horas depois, com queimaduras em 60% do corpo.

Reyes deixa uma carreira de 25 anos ao serviço da modalidade, boa parte dela no Sevilha FC, onde se formou como júnior e senior, numa ligação de 16 épocas desportivas (consecutivas de 1994 a 2003 e, mais tarde, 2011 a 2016). Representou mais oito clubes, a maioria (5) em Espanha: Arsenal (2003/2006), Real Madrid (2006/2007), Atlético de Madrid (2007/2008; 2009/2011), Benfica (2008/2009), Espanyol (2016/2017), Córdoba (2017/2018), Xinjiang Tianshan Leopard (2018) e o já referido Extremadura (2018/2019), a última formação da longa e memorável caminhada no futebol europeu e mundial.

Olhando para os números, alinhou em 706 jogos, a maioria no Sevilha (253) e marcou 104 golos (40, também a maioria, no clube que o viu nascer para o futebol). Na seleção, somou 22 internacionalizações e apontou quatro golos. Levantou um total de 14 troféus: Liga Europa (5), Supertaça Europeia (1), Liga Espanhola (1), Segunda Divisão Espanhola (1), Liga Inglesa (1), Taça Intertoto (1), Taça da Liga em Portugal (1), FA Cup (1), FA Community Shield (1) e Campeonato da Europa de sub-19 (1). Um percurso invejável que não deixa ninguém indiferente, especialmente nesta altura de grande pesar.

A UEFA já fez saber que o atleta vai ser homenageado na final da Liga dos Campeões, que hoje se realiza, entre o Liverpool e o Tottenham, com um momento de silêncio antes do apito inicial.

O percurso de Reyes marcou o futebol. Só no Sevilha, foram 16 temporadas e muitas mais conquistas!
Fonte: Sevilha FC

Para trás, fica toda uma vida ainda por viver! Extremo de posição, Reyes tinha um pé esquerdo fabuloso e que muito impressionou por onde passou. É, sem dúvida, uma notícia trágica e que marca o dia pelas piores razões.

Numa nota partilhada no site do Sevilha, os elogios são rasgados. “Uma das pérolas mais adoradas da história do Sevilla deixa-nos cedo demais, deixando um legado brilhante. 22 internacionalizações e uma magnífica lista de prémios”.

Também Luís Filipe Vieira, no site do Benfica, destacou a “profunda tristeza e consternação” quando se soube da notícia. “Foi um choque (…) Apresento as mais sentidas condolências a toda a sua família e amigos, manifestando profunda solidariedade e pesar nesta hora difícil e muito triste. O atleta e homem exemplar ficará para sempre na nossa memória”.

Reyes jamais será esquecido na história do futebol! As conquistas, qualidade e momentos lendários na seleção e nos clubes que integrou não voam com o tempo. Como quando integrou o projeto invencível do Arsenal, sem deixar de parte a ligação afetiva ao Sevilha, o clube que o formou e acolheu em todos os momentos da vida.

Da parte do Bola na Rede, apresentamos os nossos sentimentos e sentidas condolências à família e amigos de José Antonio Reyes. Descansa em paz, campeão!

Foto de Capa: SL Benfica

Comentários