Iniciamos este fim de semana a 24ª jornada do campeonato nacional de futebol da primeira liga e faltam cerca de 11 jogos para finalizar. Se por um lado, nos últimos anos e a esta altura do campeonato, ter cinco ou mais pontos de avanço do segundo classificado tenha ditado quase sempre o vencedor antecipado, por outro lado, esta época, temos outro fator que pode baralhar as contas: uma luta a três, entre Benfica, Porto e Sporting. Pelo que só podemos esperar um final de muita luta, muito nervosismo e muita polémica.

Admito que o jogo em atraso do Estoril com o Porto alterou um pouco a minha projeção para o que falta do campeonato, porque estar a onze jornadas do fim, ter dois pontos de diferença entre o primeiro e os segundos é muito diferente dos cinco pontos atuais. Não apostaria que o Porto iria ao Estoril desfazer uma desvantagem de 1-0 para 1-3 em 45 minutos, mas depois de ver a metade desse jogo, vi que bastaram 14 minutos para isso acontecer. Claro que para quem viu o jogo houve falhas evidentes do VAR e que de certo modo, conjugando com a atitude dos jogadores do Estoril, resultaram neste passeio dos jogadores do Porto ao sol do Estoril.

A jornada 23ª ficou também marcada pelo adiantar dos minutos no jogo entre o Tondela e Sporting, onde o Sr. Capela se equívocou em vários lances que contrariaram a verdade desportiva. Só estranhei desta vez o órgão de Comunicação do Sporting não ter vindo brincar nas suas redes sociais, dando o jogo por terminado passados vários minutos, era jogo para o ter feito.

Estes dois contratempos da arbitragem parecem simples equívocos mas decidem campeonatos e quando tudo indicava que o Benfica iria beneficiar dos resultados dos adversários, lá aparece um apito mágico que deixa tudo na mesma e os adversários em vantagem. Infelizmente, o futebol português é/está assim e muito há a fazer para o mudar, não me refiro só ao VAR, porque mesmo antes de ele existir, estas situações já existiam com alguma regularidade, só se encontrou um novo bode expiatório.

O caminho até ao “penta” ainda é longo
Fonte: SL Benfica
Anúncio Publicitário

Mas falemos de futebol, se a memória não me atraiçoa, tenho de voltar a época de 2004/2005 com o Trappatoni ao comando da equipa encarnada, para me lembrar da última luta a três pelo título. Nessa época, recordo me que foi um milagre o Benfica ter sido campeão, pois os resultados foram obtidos por margens mínimas e com o Mantorras já sem condições físicas mas que marcava ainda o seu golinho aos 90 minutos.

O Porto entrou nessa época como Bicampeão nacional e com objetivo de chegar ao tri, e talvez tenha mesmo sido a equipa mais forte, mas acabou por ficar em segundo lugar, a três pontos do primeiro e um do terceiro classificado, o Sporting.

Mas deixando as memórias para trás, esta luta a três disputa-se com o FC Porto em vantagem. Cinco pontos á entrada do mês de março é, sem duvida, um avanço considerável e difícil de alcançar para os adversários. Ainda mais, quando a sua deslocação mais difícil para o que falta deste campeonato seja a deslocação ao Estádio da Luz, já que a ida à Madeira, apesar de ser culturalmente difícil para os dragões, não antevejo que vá ser complicada, pois o Marítimo que temos visto na segunda volta está muito longe do futebol a que nos habituou.

O Benfica, por seu lado, tem três deslocações que considero difíceis, sem falar no jogo com o Porto em casa, que são frente ao Vitória de Setúbal, ao Estoril e ao Sporting. São sempre adversários que causam muitas dificuldades e não se pode perder qualquer ponto para a manutenção na luta.

O Sporting é dos três, o que conjeturo maiores dificuldades pelo caminho, em breve jogará no Dragão, e tem as deslocações a Chaves, Braga, Portimão e o jogo em casa, com o Benfica. Estes são para mim, os seus principais obstáculos para o grande objetivo que lhes foge há quase 16 anos.

Contudo, o meu coração vermelho faz me acreditar que há Luz ao fundo do campeonato e na conquista do tão desejado Penta.

Foto de Capa: SL Benfica

 

Comentários