Anterior1 de 3Próximo

sl benfica cabeçalho 1

Muito se falou e se questionou sobre como o Benfica iria se apresentar em Arouca, com os 3 homens da frente lesionados. Veríamos Rafa na frente ou seria o miudo a fazer a estreia? Rui Vitória acabou por fazer a escolha mais lógica. Gonçalo Guedes (que ganhou uma nova vida nesta posição) nas costas do estreante Rafa.

E podemos dizer que o Benfica não acusou a ausências da 3 peças fundamentais na frente. É óbvio que Gonçalo Guedes e Rafa ainda se estão a conhecer, o normal tendo em conta que o ex-Sporting de Braga poucos treinos teve com os colegas. Mas mesmo assim, o Benfica mostrou que os problemas e as lesões ficaram na Luz e tal como Rui Vitória afirmou, o trabalho dele é “arranjar soluções”. A equipa entrou bem, dominante e Rafa mostrava o porquê de tanto dinheiro investido nele. O jovem português mostrou que não só na ala pode funcionar mas também lá na frente, quando a equipa estiver numa situação como a de esta semana. Os holofotes dos benfiquistas estavam todos em cima de Rafa e o jogador não desiludiu, mostrando o poder de arranque e aquele toque de bola que já é habitual. Ficam os benfiquistas com água na boca de o imaginar já entrosado com a equipa toda.

Rafa foi uma agradável surpresa no 11 Fonte: SL Benfica
Rafa foi uma agradável surpresa no 11
Fonte: SL Benfica

A equipa do Arouca pouco ou nada fez na primeira parte, não conseguindo respirar e suster a pressão benfiquista. Era claro a falta de comunicação ao centro, com André Santos a deixar um buraco no meio-campo defensivo, criando ali uma zona sem ninguém propicia aos ataques do Benfica. Não foi espanto para ninguem o golo do Benfica aos 16 minutos. Apesar de ter sido um auto-golo, fica na memória a bonita jogada que originou o golo. Aliás, a imagem que fica da primeira parte é um domínio total do Benfica, com jogadas muito bonitas de se ver e algum desperdício, com Bracali a ser a figura maior da parte do Arouca.

A segunda parte começa como acabou a primeira. Com o Benfica com o jogo completamente controlado e a marcar. Lisandro deu a tranquilidade necessária e deu a entender que o jogo estava praticamente na mão. No entanto, dois lances mudaram o filme da partida. Rafa é derrubado na área do Arouca, num lance onde o árbitro podia ter marcado penalty, e na jogada a seguir o Arouca reduz, por Walter González, num grande cabeceamento. A equipa de Lito Vidigal, que até ao golo parecia não se ter encontrado em campo, ganhou novo animo para a partida, reorganizou-se e cresceu no encontro, apareceu mais vezes na área benfiquista causando alguns calafrios. Ao mesmo tempo, Rafa ressentiu-se do lance na área do Arouca e teve de sair. O Benfica acusou estes dois momentos, mas Rui Vitória soube tranquilizar a equipa, principalmente com a entrada de Samaris.

O Benfica recuperou do susto e soube voltar a ter o controlo do jogo, mesmo sabendo que o 2-1 é sempre perigoso, e os 3 pontos vieram para Lisboa. Para além da vitória, Rui Vitória é um homem feliz pela dinâmica ofensiva que a equipa apresentou, mesmo sem 3 das suas pelas fundamentais. Rafa mostrou o craque que é e Gonçalo Guedes parece outro na nova posição. Rui Vitória só pode estar satisfeito com as soluções que tem.

Anterior1 de 3Próximo

Comentários