Jean-Clair Todibo chegou ao SL Benfica já em cima fecho do mercado de transferências de verão. O central francês apresentou-se ao trabalho e sofreu uma lesão na primeira semana de treinos. Esta lesão e as sequelas subsequentes fizeram com que o jogador estivesse afastado das opções por um longo período de tempo.

A verdade é que neste momento o nome do jogador já não consta no boletim clínico, mas ainda assim Todibo não foi convocado uma única vez. A que se deveu este afastamento absoluto do jogador?

Segundo Jorge Jesus, o jogador não tem nem condição física nem capacidade tática para jogar na equipa encarnada. O treinador natural da Amadora parece não contar mesmo com o jogador, que, inclusive, já tem guia de marcha. Aliás, só não regressará ao FC Barcelona porque o clube blaugrana não aceitou o fim do empréstimo.

Anúncio Publicitário

É verdade que Todibo já não jogava desde maio, fazendo com que a sua condição física provavelmente não fosse a melhor. No entanto, o mesmo se passou com Otamendi, mas com uma diferença: o argentino foi imediatamente titular após chegar.

Depois de uma exibição de estreia desastrosa, Jorge Jesus afirmou que Otamendi não estava na melhor condição física e que ainda não estava taticamente enquadrado com a equipa.

Pergunto: qual é a diferença entre Otamendi e Todibo? Muito simples. Um (Otamendi) veio a pedido de Jorge Jesus e o outro (Todibo) não. Vemos diariamente a confiança e insistência do treinador das águias nos jogadores que foram seus pedidos expressos.

Utilizar repetidamente Gilberto em detrimento de Diogo Gonçalves, mesmo com as limitações que o brasileiro tem apresentado, demonstra o quão importante é este requisito para Jorge Jesus.

A posição de defesa central é outro exemplo evidente. Otamendi tem estado a um nível absolutamente penoso. Verthonghen não tem convencido totalmente. Jardel continua a ser muito inconsistente e sofre, repetidamente, dos habituais problemas físicos. Ainda assim, não houve um desejo de preparar física e taticamente Todibo ou mesmo de utilizar Ferro (totalmente encostado, sem grande justificação).

Continuo a achar que Todibo é um central com muita qualidade e um potencial enorme, mas não sendo opção surge outra pergunta: se já era evidente que não teria oportunidades, qual é o sentido de pagar a taxa de empréstimo do jogador?

Talvez a chegada do francês fosse para testar um esquema de três centrais, mas a lesão de André Almeida veio estragar o plano. Talvez fosse necessário outro central, mas então porque é que Todibo e Ferro têm 18 minutos combinados (todos de Ferro)?

Como sempre, as decisões parecem ser tomadas ao sabor do vento. Não existe qualquer tipo e planeamento a médio/longo prazo. Em janeiro virá certamente outro central para a equipa da Luz.

Há coisas que não se percebem.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome