Poderia começar este texto de várias maneiras, pois há muito por abordar. O que falhou na Champions, a incompetência de Jorge Jesus ou mesmo da atitude dos jogadores, mas vamos por partes.

A vitória do Benfica é justa. Foi o regresso às boas exibições e o Artur esteve lá quando foi preciso. Destaco também o Sílvio. Mas o engraçado é que as boas exibições têm acontecido quase sempre na Champions (tirando o jogo em casa com o Olympiakos e em Paris). Depois de uma exibição muito má frente ao Arouca, os jogadores apareceram dispostos a voltar a fazer as pazes com os adeptos. Terá sido o aperto do Luís Filipe Vieira? Talvez. Mas para mim foi o facto de terem jogado na montra milionária. Quando os milhões acenam, quando os tubarões estão a observar, os meninos já jogam como loucos. Quando se está na liderança e o adversário é o ultimo classificado, a coisa vai-se resolver portanto não é preciso correr muito. Esta falta de atitude em certos jogos não pode acontecer, é assim que se perdem campeonatos.

E o que falhou nesta Champions? Muita coisa. Um Roberto no jogo da sua vida e um Benfica demasiado fraco na Luz contra o Olympiakos. Se na Grécia podíamos estar ali até os gregos saírem da crise que a bola nunca ia entrar, na Luz a história foi outra. É certo que na segunda parte o tempo não ajudou e há um penalty por marcar, mas na primeira parte não houve esses condicionantes e o Benfica fez mais uma vez uma exibição deplorável. Jorge Jesus apostou em Ivan Cavaleiro quando Lisboa estava à beira de um dilúvio e o jogador não conseguia correr durante o aquecimento devido ao estado do relvado. Foi neste jogo que o Benfica perdeu a grande oportunidade de dar um passo importante rumo à próxima fase. Em casa temos de dominar, temos de ser favoritos. Tirando os tubarões europeus, temos de dominar o adversário e não ter atitudes passivas.

Jorge Jesus devia trabalhar mais e falar menos / Fonte: controlinveste.pt
Jorge Jesus devia trabalhar mais e falar menos
Fonte: controlinveste.pt

Falando em Jorge Jesus, a sua ambição desmedida paga-se caro. Falou-se muito sobre uma possível ida à final, disputada na Luz, sobre esse sonho que Jorge Jesus tinha. Também eu tenho muitos sonhos, mas para os concretizar tenho de trabalhar para tal. Se o Jorge Jesus fosse de menos conversa e mais acção, talvez agora estivéssemos a ver possíveis adversários na Champions. E, claro, uma final da Champions é um sonho difícil. É preciso ter muita sorte nos sorteios e na fase crítica da época, onde se joga 3 vezes por semana e ter a equipa sempre em forma e fora de lesões. Agora é jogar na Liga Europa. Na Liga Europa, os grandes portugueses podem sonhar com a final e, sendo o Benfica o finalista, é legítimo. Mas isso é para ser falado lá mais para Fevereiro. Até porque esta Liga Europa tem bastantes equipas fortíssimas.

Uma última palavra para o golo do PSG. De nada vale sermos fortes ofensivamente, quando da primeira vez que o adversário vai à nossa baliza a defesa tem uma atitude passiva, a ver jogar o adversário.

Comentários