sl benfica cabeçalho 1

Em qualquer triângulo, um vértice une linhas. No Benfica esse vértice não une só duas linhas, mas um fio de jogo. Torna a subida no terreno de jogo um processo criterioso em que é privilegiada a posse. A da bola e do controlo do jogo.

Quando os encarnados estavam a atravessar um momento crítico, a nível de resultado, mas, sobretudo, de exibições, eis que aparece um croata que chegara a ser considerado o Modric quando estava no Rio Ave. O que é certo é que, proporcionalmente falando, e após ter vindo para o Benfica, o médio exerceu tal importância na manobra da equipa que a alcunha de Modric dos encarnados também não lhe assentaria nada mal. O verdadeiro nome é Krovinovic e o talento é muito.

Com o jovem, Rui Vitória mudou a tática. De um 4-4-2, com Pizzi a fazer a ligação defesa-ataque, passou para um 4-3-3, com Krovinovic a desempenhar essa função. A principal diferença está naquilo que o facto de ser o croata a fazer essa ligação proporcionou à construção do jogo ofensivo da equipa. E até mesmo no setor defensivo.

A entrada de Krovinovic na equipa, numa primeira fase, permitiu a Pizzi ter mais liberdade para se movimentar, seja no apoio às alas seja no miolo do terreno. Daí a pisar zonas mais avançadas no campo foi rápido. Pizzi tem sido um dos goleadores da equipa nas últimas partidas. Jonas tem o estatuto de goleador principal.

Anúncio Publicitário

Numa outra perspetiva, que tem tanta ou mais importância que a liberdade de Pizzi no campo, o médio deu a consistência de que o meio campo benfiquista necessitava. Não a nível defensivo – ainda que ter mais um jogador a defender seja uma vantagem – mas principalmente, quando a equipa está em ataque. Com uma técnica acima do comum, tanto transporta o jogo pelo meio, sendo o próprio a progredir com a bola controlada, como aparece numa das alas como se de um extremo se tratasse. A visão de jogo do médio é também uma das suas maiores vantagens.

O jovem médio português aparece como a mais provável opção para substituir Krovinovic Fonte: SL Benfica
O jovem médio português aparece como a mais provável opção para substituir Krovinovic
Fonte: SL Benfica

Porém, aconteceu o que ninguém esperava. Krovinovic lesiona-se com gravidade e os restantes jogos da temporada, vê-los-á na bancada. Rui Vitória tem novo teste de fogo – o que fazer?

Uma vez que a equipa tem trabalhado num sistema tático com três jogadores no meio campo, e tem já rotinas adquiridas nos processos, alterar a disposição no campo não iria ser benéfico. Assim sendo, terá naturalmente de ou contratar um jogador com as características especificas para a posição, ou mais fácil ainda, com a inclusão do jovem médio João Carvalho.

Certamente não terá as características de Krovinovic, mas talvez acrescente outro tipo de qualidades a nível ofensivo. O jovem tem uma capacidade de remate de fora da área interessante e uma boa visão de jogo. Rui Vitória disse mesmo que o médio via o que mais ninguém via.

Resta esperar para saber se o técnico dos encarnados vê em João Carvalho a capacidade para ocupar o lugar deixado vago pelo menino da fita no cabelo – o Modric dos encarnados. Desta forma o triângulo do meio campo benfiquista apenas substituía um dos vértices por outro que, embora com uma margem de progressão a ter em atenção, ainda está em crescimento.

Foto de Capa: SL Benfica

Comentários