Pavlidis e Ioannidis: Os gregos que prometem agitar o verão português

    De uma forma menos pavorosa comparativamente a 2004, nomes gregos voltam a encher manchetes pelo país fora em vésperas de verão. Vangelis Pavlidis e Fotos Ioannidis são os protagonistas que têm vindo a ser apontados como possíveis reforços dos dois rivais de Lisboa, que se vão preparando para um mercado agitado no planeamento da próxima época. Assim sendo, olhemos e analisemos, então, Pavlidis e Ioannidis, os alvos de Benfica e Sporting para a frente de ataque neste mercado de transferências de verão.

    Vangelis Pavlidis

    O ponta-de-lança grego de 25 anos do AZ Alkmaar, dos Países Baixos, é já há muito um desejo do Benfica. Uma novela que já vai na segunda temporada, mas que, nesta última, teve um maior despertar de interesse depois dos 33 golos marcados pelo avançado ao longo da época que agora terminou.

    A verdade é que o sucesso de um ponta de lança grego por terras neerlandesas não é algo novo, uma vez que, nas últimas três temporadas, os melhores marcadores da Eredivisie foram em duas ocasiões precisamente avançados helénicos. Giakoumakis em 2020/2021 e Douvikas em 2022/2023 desbravaram caminho para que Pavlidis pudesse brilhar este ano e apontar 29 golos no campeonato, igualando assim Luuk de Jong no topo da lista de melhores marcadores da competição nos Países Baixos. Ainda assim, o que é que diferencia Pavlidis dos avançados anteriormente mencionados?

    Para além dos golos, existem outros fatores que levam o clube da Luz a interessar-se no atleta. Pavlidis pode caracterizar-se como sendo um avançado extremamente completo e, sobretudo, alguém que derivado ao seu estilo de jogo dentro das quatro linhas, se encaixa perfeitamente no modelo de Roger Schmidt. Pelo menos no modelo usado na época 2022/2023.

    Pavlidis é um avançado móvel e que, à semelhança de Gonçalo Ramos, oferece muita disponibilidade física e defensiva no primeiro momento de pressão ao adversário. Alguém que facilmente desce no terreno e que se associa com os colegas, mas, que também aparece oportunamente na grande área para os momentos de finalização. Alguém que oferece uma capacidade técnica notavelmente superior àquela que o Benfica tem disponível neste momento, e que, estatisticamente, também garante mais golos. Um avançado de encher o olho quer a nível físico, quer a nível tático.

    Nomeado para o Puskas em 2021, anotou 80 golos e 25 assistências nas últimas três épocas e é, por isso, alguém que inevitavelmente se destaca entre o radar ofensivo europeu. No papel, a contratação de Pavlidis seria algo efetivamente positivo para o Benfica, contudo, há que perceber o ponto da situação.

    De acordo com Fabrizio Romano, as negociações entre os dois clubes já se encontram numa fase avançada, onde cerca de 19 milhões de euros podem garantir o seu bilhete para Lisboa.  Ainda assim, a sua contratação não faz sentido caso o Benfica não venda um, ou até mesmo dois, elementos da frente de ataque, nomeadamente Arthur Cabral e Tengstedt.

    A coexistência com os outros três avançados para além de ser algo negativo para todos, por não garantir tempo de jogo suficiente a nenhum, não faz sentido a nível financeiro depois do investimento passado que, assim, estaria mais longe do seu retorno. Caso contrário, se efetivamente se registarem as saídas de Arthur Cabral ou Tengstedt, a contratação de Pavlidis acaba por ser um movimento provável. Nesse cenário, a vaga pela posição de ponta de lança do Benfica seria disputada entre o grego e Marcos Leonardo, que também tem uma palavra a dizer depois dos primeiros seis meses de águia ao peito.

    Com 25 anos, é muito possível que Pavlidis dê o salto para um patamar superior este verão, depois do progressivo sucesso e progresso individual que tem vindo a registar. Quer seja para Lisboa ou para outra capital europeia, a viagem de Pavlidis certamente assegurará rendimento e, sobretudo, qualidade dentro das quatro linhas.

    Fotis Ioannidis

    O avançado grego de 24 anos, que atua no seu país natal ao serviço do Panathinaikos, destacou-se esta temporada ao somar 23 golos e 10 assistências em 43 jogos, despertando assim o interesse de outro clube verde e branco, o Sporting.

    Ao contrário do colega de posição na própria seleção, Ioannidis não depende necessariamente de que alguém saia de Alvalade para que o mesmo possa rumar ao Sporting. Ainda que a sua contratação possa servir para precaver uma possível saída de Paulinho ou, principalmente, de Gyokeres, a junção de Ioannidis ao ataque leonino é algo possível e interessante de prever.

    Ele que também se caracteriza por ser um atleta móvel e completo, no que diz respeito aos aspetos ofensivos, pode funcionar conjuntamente com Gyokeres na mesma equipa, tal como aconteceu com Paulinho em diversos momentos esta temporada. No apoio ao matador sueco requer-se um avançado que saiba explorar outros espaços, que se movimente e apoie de forma constante, que tenha igualmente capacidade de marcar ou assistir, e isso é aquilo que representa Ioannidis.

    Além disso, o alvo dos leões também entra dentro do perfil que trouxe Gyokeres para Lisboa, ao fazer uso da velocidade, do físico, da finalização, da constante agressividade na forma de estar dentro do campo.

    Apesar dos indicadores individuais serem notoriamente positivos, há que ter em conta que esta foi a época de explosão do ponta-de-lança grego. Ioannidis revelou-se aos grandes palcos este ano e, ao contrário de outros possíveis alvos, não tem na estatística a mesma base de apoio.

    Por outro lado, a observação atenta e detalhada por parte do Sporting, mostra que o clube de Alvalade espera ter na Grécia o mesmo diamante encontrado em Inglaterra na temporada passada.

    - Advertisement -

    Subscreve!

    PUB

    spot_img

    Artigos Populares

    Vítor Miguel Gonçalves
    Vítor Miguel Gonçalveshttp://www.bolanarede.pt
    Para Vítor, os domingos da sua infância eram passados no velhinho Alvalade, com jogos das camadas jovens de manhã, modalidades na nave e futebol sénior ao final da tarde.