Quarta feira, 8 de março de 2006. Jogava-se, em Anfield, a segunda mão dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões. No jogo da primeira mão, os encarnados tinham somado um triunfo por 1-0, o que permitia alguma margem de manobra aos homens de Ronald Koeman nas contas da eliminatória. Do outro lado do relvado, e apoiados por mais de 44 mil adeptos, conhecidos por serem dos apoiantes mais fervorosos no Futebol Inglês, encontravam-se os atuais detentores da competição, o Liverpool FC.

Os comandados de Rafa Benítez procuravam anular a vantagem que “águias” traziam da primeira mão, pelo que era expectável uma entrada forte no jogo por parte da equipa da casa. E, efetivamente, foi isso que aconteceu.

Os “reds” entraram a querer assumir o controlo do jogo, exercendo uma pressão intensa na primeira linha de construção dos encarnados. O trio Gerrard, Crouch e Garcia começava a assumir as despesas ofensivas da equipa da casa. Do outro lado, a dupla de centrais composta por Anderson e Luisão ia sustendo o ímpeto da equipa da casa e quando essa linha era quebrada, estava lá Moretto – e os postes -, para negar o golo aos britânicos.

Simão Sabrosa foi a figura principal das “águias” no encontro
Fonte: UEFA

No entanto, e contra a corrente do jogo, as “águias” iriam chegar à frente do marcador ao minuto 36. Numa jogada de insistência, em que os encarnados conseguem recuperar a bola no último terço do terreno, Simão Sabrosa desfere um remate em arco que só para no canto superior esquerdo da baliza à guarda de Reina. Estava desfeito o nulo no marcador, e os homens de Koeman chegavam ao intervalo em vantagem.

Anúncio Publicitário

No segundo tempo, nada mudou: o Liverpool continuava a assumir o controlo do jogo, enquanto o Benfica – agora ainda mais confortável devido à vantagem que ganhou no final da primeira parte -, com um bloco médio-baixo, fazia do contra ataque a sua principal arma. Há que destacar a solidez defensiva dos encarnados neste jogo, que conseguiu aguentar a pressão dos britânicos.

E como quem não marca sofre, esta velha máxima também se aplicou neste encontro. Aos 87 minutos, através de uma transição ofensiva irrepreensível, Miccoli coloca o último prego no caixão dos “reds”, ao fazer o 0-2 final.

As “águias” acabavam de eliminar o campeão europeu em título, numa noite em que se pode vislumbrar o velho Benfica europeu de que as gerações mais velhas tanto nos falaram.

Vídeo/reportagem sobre o jogo:

ONZES INICIAIS E SUBSTITUIÇÕES 

Liverpool FC: Pepe Reina; Finnan, Carragher, Traoré e Warnock (Hamann, 70′); Xabi Alonso, Gerrard, Luís Garcia e Kewell (Cissé, 63′); Crouch e Morientes (Fowler, 70′).

SL Benfica: Moretto; Alcides, Luisão, Anderson e Leo; Beto, Manuel Fernandes e Robert (Ricardo Rocha, 70′); Geovanni (Karagounis, 60′), Simão e Nuno Gomes (Miccoli, 77′).

Comentários