SITE TEMPORÁRIO

20 de Janeiro, 2022

Bola Rui Costa SL Benfica

Rui Costa tem a bola da mudança nos pés | SL Benfica

A bola é das águias. Haverá nova estratégia comunicacional na Luz?

O vídeo que circulou há quatro dias atrás nas redes socias do SL Benfica, referentes à dualidade de critérios presente nos jogos do Estoril Praia SAD frente ao clube da Luz e ao FC Porto é prova cabal de que algo mudou no lado encarnado da segunda circular.

Ninguém o pode negar. Houve uma alteração na forma como o SL Benfica comunica, desde que Rui Costa tomou rédeas do clube da Luz.

Como é de domínio público, a comunicação do clube nos últimos tempos tem deixado a desejar. Não sabendo se de forma propositada ou mera incapacidade da administração, não tem havido grande defesa dos interesses do SL Benfica na via pública. Foi assim em muitas situações em que se pedia intervenção mais acentuada por parte de quem manda.

Mas se tais intervenções não ocorreram nessas situações, o facto tornou-se mais grave ainda quando o bom nome da instituição ficou manchado no momento em que esta se tornou o epicentro de um dos maiores escândalos do futebol português desde o apito dourado.

Não estando em causa se Luís Filipe Vieira cometeu algum ilícito de natureza criminal, isso caberá à Justiça averiguar, a verdade é que o clube, na pessoa de Rui Costa, deveria dar respostas inequívocas e assertivas, com o objetivo primordial de defender os reais interesses do Sport Lisboa e Benfica.

Ao que parece, relativamente às arbitragens, as coisas estão a mudar. Usar o perfil oficial do clube para expor dualidades gritantes de critério é mostra de que uma nova era na comunicação agora começa. E, talvez, outras mudanças têm de acontecer para esta renovação ser forte e eficaz.

Pede-se que, a seu tempo, Rui Costa limpe a imagem e atualize a administração da SAD, incluindo o diretor de comunicação. Não por incompetência, mas porque o novo presidente necessita de pessoas ao seu lado que estejam na mesma página.

Pessoas que olhem para o futuro juntamente com ele, que pensem de forma síncrona e que não transportem reminiscências de direções anteriores que possam prejudicar o clube.